Bichos

Protetores especializados resgatam e doam cães de raça

Ativistas dos animais se focam no resgate e na doação de pets com pedigree

Por: Carolina Giovanelli - Atualizado em

Luciana Shen buldogue protetora cachorro
Luciana, da Adoptapetbr: responsável pela doação de 21 buldogues (Foto: Léo Martins)

Muita gente por aí sonha em ter um cachorro de raça em casa. Alguns desavisados, porém, não sabem o trabalho que os pets podem dar. Às vezes, desembolsam milhares de reais na compra do animal e, depois de polpudas despesas veterinárias ou desvios de comportamento inesperados, acabam abandonando a mascote com pedigree e tudo.

+ Entidade critica comércio de cães de raça com vídeo ácido

Esses bichos têm recebido a atenção de grupos como o Adoptapetbr, de Luciana Shen. Fundada em 2014, a entidade foi responsável pelo resgate e pela doação de 21 buldogues até agora. “Já gastei 7 000 reais para recuperar apenas um cão”, conta Luciana. Ela lançou um e-commerce de roupas e itens temáticos, cuja renda auxilia a cobrir os gastos.

Normalmente, a escolha dos animais nessas instituições especializadas se dá por uma questão de afinidade. O empresário Alessandro Desco teve um pit bull na infância e, há oito anos, deparou com um cão da raça largado em um terreno baldio. Desde então, encontrou um lar para cerca de 200 bichos do tipo, todos vítimas de abandono ou maus-tratos. “Existe muita desinformação”, diz. “Eles são agredidos e chegam assustados.”

pit bull Alessandro Desco cachorro
Alessandro Desco: especializado em pit bulls (Foto: Fernando Moraes)

A autônoma Nicole Youssef encantou-se por são-bernardos e acolheu mais de 100 desde 2012. “As famílias assistem ao filme Beethoven e acham tudo lindo”, conta. “Esquecem que o pet cresce, come bastante, baba...” Chovem interessados em adotar os cães desses grupos — em tempo: os filhotes são raros, a maioria é adulta. Mas não vá pensando que é fácil. 

+ Peixe passa mal e recebe atendimento de emergência

Devem-se preencher formulários, passar por entrevistas e receber visitas dos protetores. “Jamais cedo para reprodução e risco da lista quem não tem condições de custear os gastos”, afirma Alessandra Walckiers, do coletivo Boxer Rescue, atuante em todo o Brasil. “Não dá para deixá-los sofrer novamente.”

DE LABRADOR A PIT BULL

Alguns grupos e suas especialidades

Boxer: Boxer Rescue, www.facebook.com/boxer.rescue.br

Buldogue: Adoptapetbr, www.adoptapetbr.com.br

Bull terrier: Bull Terrier Rescue BR, www.facebook.com/bullterrierrescuebr

Dogue-alemão: grupo no Facebook “Dogue Alemão Rescue

Golden retriever e labrador: grupo no Facebook “Golden Retriever e Retriever Labrador Rescue

Pit bull: Pit's Ales, www.facebook.com/alespitbullsteam

Pug: Pug Rescue Brazil, www.facebook.com/groups/resgatedepugsbrasileiros

› Rottweiler: Rottweiler Rescue - Br, www.facebook.com/groups/rottrescue

São-bernardo: S.O.S — Cão São Bernardo, www.facebook.com/sossaobernardo2014

Fonte: VEJA SÃO PAULO