BARES

Doze cachaças que você vai querer beber (ou não) só pelo nome

Confira os títulos mais carismáticos ou curiosos das pingas encontradas em bares de São Paulo

Por: Saulo Yassuda - Atualizado em

Empório Sagarana
Prateleiras da Empório Sagarana: acervo caprichado (Foto: Mario Rodrigues)

Nos bares onde as cartas de cachaça são mais extensas, é fácil ficar indeciso na hora de escolher a dose. Na dúvida, muitos vão pelo nome mesmo.

+ Doze hambúrgueres imperdíveis

"Muita gente pede essas pingas de nomes mais estranhos para conhecer", conta Nélio Ritzel, gerente do Bar do Arnesto, na Vila Olímpia, onde se encontram 500 rótulos da marvada . "A molecada gosta mais dos nomes curioso, pelo novo", complementa Heinz Schmitz, que serve um acervo de 475 variedades no Terra Nova, no Tremembé. 

+ Comer & Beber 2015: bares para agitar

Que tal bebericar um Boi Parido? E uma... Volúpia? Quer uma Chora Rita? Nomes como esses, engraçados, melancólicos e até poéticos (por que não?) são encontrados em bares paulistanos. Confira abaixo um ranking que elaboramos com os doze mais curiosos.

Terra Nova Bar e Cachaçaria
Terra Nova: 475 opções de pinga (Foto: Divulgação)

12º lugar - Melindrosa. O nome nos fez lembrar de uma mocinha que se melindra facilmente. Não orna com pinga, né? Do sul de Minas, é servida no Terra Nova por 8 reais .

11º. Rapariga. Mais uma pinga de alcunha feminina, agora do Ceará. Custa 8 reais no Terra Nova.

10º. Marimbondo Prata. Vendida no Bar do Arnesto, a cachaça paraibana (10 reais a dose) não tem a temida vespa na fórmula. Mas será que pinica a língua?

Aé Sagarana
Pinga: nomes curiosos (Foto: Mario Rodrigues)

9º. Boi Parido. Oi? Essa é a alcunha também da fazenda onde a marvada é produzida, em Oliveira (MG). Dose por 15 reais no Bar do Arnesto.

8º. Gandaia. Birita e gandaia tem tudo a ver, né? Festeje, portanto, com uma dose dessa bebida de Santana de Vargem (MG) e largue a vodca com energético. Por 8 reais a dose no Terra Nova

7º. Fuzuê. Mais uma marvada festiva. Envelhecida em amendoim, a cachaça de Rio Claro (SP) sai a 7 reais a dose no Casa Café, em Pinheiros.

Bar Arnesto - Bares
Bar do Arnesto: estante repleta de garrafas (Foto: Mário Rodrigues)

6º. 100 Limite. Quando você está na gandaia, no maior fuzuê, você fica... sem limite. No Terra Nova, tem nas versão prata e ouro da bebida, dos 10 e 12 reais a dose, respectivamente.

5º. Volúpia. Cuidado. Com esse nome, a aguardente paraibana parece querer despertar toda a sua sensualidade. Dose a 22 reais no Casa Café,

+ 9 vinhos para comprar no supermercado por até 59 reais

4º. Insinuante. Ui. Só pela alcunha, você já se sente provocado por essa pinguinha de Januária (MG) envelhecida em umburana. É vendida no Empório Sagarana, na Vila Madalena, por 7 reais a dose.

Casa Café
O salão do Casa Café, em Pinheiros (Foto: Mario Rodrigues)

3º. Marvada Neide. "Marvada" seria o termo sinônimo de cachaça ou seria um adjetivo negativo relacionado à tal da Neide? E quem é Neide? Mistérios. No Terra Nova por 8 reais a dose.

2º. Chora Rita. Ficamos tocados com o título dessa marvada de Anápolis (GO). Será que Rita precisou da cachaça para chorar? Poético. Melancólico. A dose custa 8 reais, no Terra Nova.

1º lugar - Pinissilina. Se a penicilina é um antibiótico que mata várias bactérias, sua versão "mineirin" pinissilina (7 reais a dose no Empório Sagarana) é capaz de matar todas as máguas da vida. E viva a cachaça!

+ Z Carniceria reabre em Pinheiros

Fonte: VEJA SÃO PAULO