Cinema

Burlesque: pouca coisa se salva

Drama musical, que tem pré-estreia hoje, mereceu apenas uma estrela. E olhe lá

Por: Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Burlesque
Cena do musical: Cher mumificada e roteiro raso (Foto: Divulgação)

Difícil saber o que é pior nesse drama musical. Seria a não-interpretação da cantora Christina Aguilera ou o carão mumificado de Cher? O roteiro raso como um pires ou a tentativa fracassada de reviver Bob Fosse (1927-1987) em coreografias “inspiradas” em "Chicago" e "Cabaret"?

"Burlesque" só não leva bomba por dois motivos: 1) Christina Aguilera, quando não se entrega ao cancioneiro pop, tem um vozeirão e 2) há um bom número-solo de Cher em "You Haven’t Seen The Last of Me", canção premiada com o Globo de Ouro.

+ Galeria de fotos de Burlesque

Pilotada sem ânimo por um diretor estreante, a trama-clichê mostra a labuta da interiorana Ali (Christina) para se tornar uma estrela. Ao desembarcar em Los Angeles, a jovem descola emprego de garçonete numa casa de espetáculos do gênero burlesco cuja proprietária (Cher) mostra-se linha-dura. A moça sabe cantar e dançar bem, mas precisará pular miudinho até ser aceita como artista. De olho nela, dois pretendentes: um garçom (Cam Gigandet) metido a compositor e um empresário rico e bonitão, papel de Eric Dane. Pensou num conto de fadas? Bingo!

A estreia está prevista para sexta (11), mas haverá sessões hoje, no Iguatemi Cinemark, às 19h40, e quinta, no Cidade Jardim Cinemark, às 21h50.

Fonte: VEJA SÃO PAULO