Comidinhas

9 motivos para visitar o burger joint

Descolada hamburgueria nova-iorquina abriu as portas da sua filial paulistana na última segunda (21)

Por: Bárbara Öberg e Helena Galante - Atualizado em

Burger Joint: combinado com fritas da matriz em Nova York
Burger joint: combinado com fritas da matriz, em Nova York (Foto: Orsi)

Inaugurada na segunda (21) na Rua Bela Cintra, nos Jardins, a hamburgueria nova-iorquina burger joint é uma das novidades gastrônomicas mais esperadas desse ano na cidade. Com sede no badalado hotel Le Parker Meridien, em Nova York, a lanchonete nem abriu direito e já tem em vista a expansão para mais três pontos da cidade, um deles no Shopping Top Center. Selecionamos nove motivos para não deixar de visitar a primeira unidade paulistana da rede:

1. Experimentar o combo hambúrguer+batata frita que é considerado um dos melhores de Nova York.

+ Por dentro do burger joint de São Paulo

+ Endereços que quem ama hambúrguer precisa conhecer

2. Testar o picles de pepino feito lá mesmo (se você não gostar do azedinho, é só tirar).

3. Rabiscar seu nome - com autorização da lanchonete. É permitido desenhar nas paredes, no teto, nas lâmpadas etc, o que deixa toda a expêriencia mais divertida.

burger joint ny
As paredes rabiscadas da unidade no Hotel Le Parker Meridien (Foto: Divulgação)

4. Evitar a indecisão. O cardápio não tem muitas opções, são apenas oito, entre bebidas, acompanhamento e hambúrguer.

5. Sair na frente de todos os amigos da América do Sul: essa é a primeira unidade da rede aberta por aqui.

+ Ótimos hambúrgueres que custam um pouquinho mais que os de fast-food

+ Doze hambúrgueres imperdíveis que todo paulistano deve provar

6. Provar o milk-shake da casa, feito com gelado da sorveteria Ben & Jerry's.

7. O letreiro luminoso da porta é igualzinho ao de Nova York (e já virou ponto de selfies). 

8. Aumentar suas possibilidades de dar de cara com o Bruno Gagliasso. O ator é um dos sócios do local.

9. Economizar nos 10%: não há serviço de garçom, você mesmo faz o pedido, paga e retira no caixa.

Fonte: VEJA SÃO PAULO