Perfil

Bruno van Enck, da barbearia Corleone, lança espaço de eventos

Villaggio JK receberá de baladas itinerantes a shows de sertanejos

Por: Juliene Moretti

corleone Bruno van Enck
Bruno van Enck, na Corleone da Vila Olímpia: “A estratégia é não parar” (Foto: Fernando Moraes)

No fim de setembro, uma das baladas mais quentes da cidade, organizada pelas agências Lovelife e Deep Entertainment, parou a Rua Funchal, na Vila Olímpia. A festa White Party, que reuniu cerca de 2 000 pessoas ao som da música eletrônica tocada pelo DJ belga Yves V, aconteceu no Villaggio JK, o mais novo empreendimento do empresário Bruno van Enck. Aberto há dois meses em sociedade com o grupo ao qual pertence a casa noturna Villa Mix, que fica no mesmo bairro, o negócio funciona em um espaço de 1 600 metros quadrados.

+ Renata Vanzetto: a chef que deve faturar 25 milhões de reais em 2016 

O investimento foi de 3 milhões de reais. Há eventos previstos para realizar-se no local toda semana até o fim do ano. Um deles, a apresentação da dupla sertaneja Bruninho & Davi, ocorreu na quarta (12), reunindo mais de 1000 fãs. “Além dos shows, apostamos em confraternizações de empresas e casamentos”, afirma Van Enck.

Aos 33 anos, ele é um empreendedor em série. Em 2014, lançou no Itaim a Corleone, misto de barbearia retrô e bar onde os clientes podem escolher entre 100 rótulos de cerveja enquanto esperam para fazer cabelo e barba (140 reais, fora a bebida). Inicialmente, era um lugar singelo, com apenas três cadeiras. Mas o sucesso foi tanto que, em três meses, a quantidade de assentos subiu para dez. Hoje, vive lotado de clientes, incluindo famosos como o lutador de MMA Minotauro e o sertanejo Jorge, da dupla Jorge & Mateus.

Em meados de 2015, surgiu uma filial na Vila Olímpia. Além dos serviços da matriz, a unidade tem um restaurante de cozinha variada para cinquenta clientes. Hoje, os dois endereços juntos faturam cerca de 4,5 milhões de reais por ano. Ex-affair da cantora Anitta, o empresário é filho de Arno van Enck, proprietário da Cervejaria Munique, no Shopping Center Norte. Aos 8 já servia chope nas mesas e, aos 12, contava cheques dos clientes.

Além do Villaggio JK, ele criou, no início do mês, a própria marca de cerveja artesanal, a Corleone Double IPA. Ainda vem mais coisa por aí. “Pretendo abrir mais duas unidades da Corleone na capital em 2017 e, depois, expandir para o interior do estado”, diz. “A estratégia é não parar.”

Fonte: VEJA SÃO PAULO