Beleza

Consiga o bronzeado perfeito

Ter a cor do verão exige algumas precauções e cuidados que, seguidos à risca, garantem a tonalidade por mais tempo

Por: Leonam Bernardo - Atualizado em

Bronzeado
Bronzeado saudável: preparação para um mês todo (Foto: Paulo Vitale)

Entrar no clima da temporada mais quente do ano vai muito além de arrumar um tempinho de folga para lagartear sob o sol. O bronzeado ideal pede cuidados fundamentais para que o branco-escritório não seja trocado por pele descascada ou manchas que são um atentado à estética.

Para começar, é preciso considerar o efeito cumulativo desse tipo de exposição, que pesa bastante no envelhecimento cutâneo. A dermatologista Denise Steiner, diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia explica: “Para que a pele produza mais pigmento, a célula deve ser agredida, e isso inevitavelmente traz danos a longo prazo”.

Veja abaixo dicas sobre como proceder antes, durante e depois de tomar sol para ter um bronzeado saudável e duradouro.

ANTES

É preciso se programar para tomar sol, com mais ou menos um mês de antecedência.

Frutas com vitamina C
Mamão, kiwi, goiaba, caju e acerola: ricos em vitamina C (Foto: Fabio Castelo)

O primeiro passo é incluir na dieta alimentos ricos em vitamina C como acerola, laranja e limão, assim como os que são fonte de caroteno, a exemplo do mamão, da cenoura e do tomate. De cores alaranjadas, esses alimentos trazem ao organismo princípios ativos como o betacaroteno e o licopeno, que estimulam a produção de melanina, substância responsável pela pigmentação da pele, aumentando a proteção contra os raios ultravioletas – o que não dispensa, de todo modo, o uso de filtro solar.

+ Leia mais: Sucos para o bronzeado perfeito

DURANTE

Para o período de exposição ao sol, o dermatologista Aldo Toschi diz que a maior preocupação deve ser evitar o avermelhamento cutâneo. “O bronzeamento precisa ser gradual e lento. Não dá pra pegar bronzeado em um final de semana. Isso é um projeto para o verão todo."

Filtro solar
Filtro solar: 2 gramas de creme por centímetro quadrado de pele (Foto: Getty Images/Royalty Free/StockSyte)

Para atingir a cor desejada sem riscos, é estritamente importante a disciplina e o uso correto do protetor solar. Segundo os especialistas, o produto deve ser passado meia hora antes da saída para o sol. O ideal é que seja feita a aplicação de 2 gramas de creme por centímetro quadrado de pele – na prática, o suficiente para deixar o corpo todo esbranquiçado, mesmo. Regiões que ficam o tempo todo expostas, casos do colo, do rosto, do ombro e da parte de cima do pé, merecem atenção redobrada.

Segundo Denise Steiner, para aqueles que ficam muito tempo na água, ou praticam esportes náuticos, é interessante adotar o chamado filtro físico, ou bloqueador solar, à base de óxido de zinco e óxido de titânio. O produto faz com que a luz do sol seja refletida na pele.

E se o dia estiver nublado?

Engana-se quem pensa que em dias de muitas nuvens não é preciso fazer uso do protetor. “Essa é uma questão muito mal entendida”, afirma Denise. As radiações que prejudicam a pele são justamente os raios ultravioletas, que chegam à superfície terrestre mesmo com o céu encoberto.

DEPOIS

Com o bronzeado conquistado, é hora de mantê-lo e de recuperar a pele. Uma medida importante é o uso de hidratantes, sobretudo os à base de uréia, ácido hialurônico e ceramidas. Beber bastante líquido também ajuda – é possível, inclusive, continuar com os sucos ricos em vitaminas C e E na dieta. Nessa fase pós-sol, também é indicado tomar banhos rápidos, com a água não muito quente, e usar sabonete neutro. Esfoliantes são contra-indicados nessa etapa.

Para quem passou dos limites e está com a pele ardendo, descascando ou até com bolhas, a orientação é procurar um dermatologista. “Isso é muito sério, já que, nesses casos, não podemos usar qualquer produto”, alerta Denise. “A aplicação de substâncias que de alguma forma irritem a pele pode fazer com que o quadro de queimadura piore.”

Até mesmo o hidratante deve ser evitado em um estado de vermelhidão extrema, pois, com a pele inflamada, os vasos estão muito dilatados e naturalmente mais sensíveis. “Qualquer substância é capaz de potencializar um efeito alérgico e trazer complicações ainda maiores”, afirma a dermatologista.

Para amenizar o ardido da pele, Toschi indica a aplicação de pasta d’água, uma espécie de talco líquido que absorve o inchaço e seca a pele.

Fonte: VEJA SÃO PAULO