Moda

Bonés de luxo, que custam até 2 400 reais, caem no gosto dos paulistanos

Com enfeites de cristal e couro, bonés que custam até 2 400 reais caem no gosto dos paulistanos descolados

Por: Juliana de Faria - Atualizado em

De tempos em tempos, a turma da moda elege uma peça ou grife como imperdível. E ai do fashionista que não tiver pelo menos uma em seu closet! É o caso dos bonés, que vira e mexe voltam a ser febre, como os da marca americana Von Dutch. Quando ela aportou em São Paulo, três anos atrás, os modelitos fizeram a cabeça dos endinheirados antenados (custavam até 500 reais cada um). Centenas de camelôs passaram a comercializar cópias piratas toscas, e a onda passou. Pelo menos até a chegada ao mercado dos produtos da também americana New Era, que estreou em São Paulo com um festão para os modernos de plantão. Entre os adeptos está Adriane Galisteu. "Já tenho cinco, que uso em qualquer ocasião", conta. Entre as vantagens listadas pela apresentadora estão o caimento, o design e a exclusividade – alguns modelos chegam a ser numerados. "Sem contar que quebram um galho nos dias de cabelo ruim." O modelo favorito dela é um branquinho com cristais, feito sob encomenda e vendido por salgados 2.400 reais. E enganam-se aqueles que pensam que o preço espanta a freguesia: quem quer um boné para chamar de seu precisa esperar quatro meses.

Detentora da licença da liga americana de beisebol para fazer todos os chapéus dos times, a marca sempre foi majoritariamente conhecida pelos fãs de esportes. Até que caiu no gosto das celebridades e ganhou popularidade. Nomes de peso como Tom Cruise, Madonna e o ex-presidente americano Bill Clinton usaram tanto o acessório para fugir de paparazzi (e, claro, fazer charminho) que virou símbolo de status e obrigou a marca a criar opções mais fa-shion e chiques. Expostos em mais de trinta lojas da cidade, entre elas a descolada Doc Dog e a The Lab, na Galeria do Rock, os bonés custam a partir de 99 reais. Dos mais caros – e bacanas – chegam ao Brasil, no máximo, 150 unidades, que custam até 2.400 reais. As linhas Gold e Gold Special trazem adornos de couro, cristais e lurex. Seu trunfo é o modelo 59 Fifty, sem reguladores na parte de trás. Como calças e sapatos, é vendido por números. Ou seja, para cada cabeça, um boné específico. "Transformamos as peças em itens de moda", festeja o diretor da marca no Brasil, Itamar Cechetto.

Fonte: VEJA SÃO PAULO