Tragédia

Bombeiros encontram carteira de Eduardo Campos

Buscas estão concentradas em uma das dez casas atingidas; Polícia Federal está no local para fazer reconstituição

Por: Redação VEJASÃOPAULO.com

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Os bombeiros encontraram na madrugada desta quinta-feira (14) uma carteira com documentos que afirmam ser de Eduardo Campos. O ex-governador de Pernambuco e candidato a presidente da República pelo PSB morreu ontem em uma queda de avião em Santos, no litoral paulista. Dois pilotos e quatro pessoas da equipe de Campos também foram vítimas do acidente. 

Parte da cabine do avião foi encontrada em uma cratera formada no terreno de uma das casas - a polícia acredita que a aeronave caiu "de bico", afundando no solo. Partes de corpos também foram localizadas e serão levadas para o Instituto Médico-Legal (IML) de São Paulo, que fará a identificação das vítimas. De acordo com o perito do Instituto de Criminalística (IC) Antônio Nogueira, está sendo feita uma última varredura na área, mas a busca por restos mortais está praticamente encerrada. 

+ "O avião com Eduardo Campos caiu no meu quintal", diz moradora

+ Vídeos mostram destroços da aeronave

+ Morre em São Paulo o historiador Nicolau Sevcenko

Dez casas, uma academia e um pet shop foram atingidos pelos destroços da aeronave. O único local que ficou totalmente destruído foi uma casa desabitada; nos demais lugares, os danos foram parciais. O acidente aconteceu na Rua Vahia de Abreu, no Boqueirão, área nobre de Santos. Uma criança de um ano e cinco meses que estava na piscina da academia no momento da tragédia foi atingida por estilhaços e continua internada. Os demais feridos foram atendidos e tiveram alta.

Investigação

As peças do avião - incluindo a caixa-preta de áudio, que já foi localizada - estão em poder da Aeronáutica. Cabe ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) conduzir a investigação, que não tem prazo para ser concluída.  

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO