Tome nota

Compras no Bom Retiro: o que você precisa saber

Dicas para tornar seu programa na José Paulino mais confortável e seguro

Por: Bruna Gomes - Atualizado em

Loja na José Paulino
A Rua José Paulino conta com mais de 200 lojas espalhadas por quatro quarteirões (Foto: Cida Souza)

Como ir

■ De metrô. A estação Luz fica bem perto.

■ Se preferir ir de carro, uma opção pode ser este estacionamento (Rua Cônego Martins, 74).

+ Leia mais: Bom Retiro: mais de 200 lojas para aproveitar a região

+ Veja no mapa quais são os endereços imperdíveis da Rua José Paulino

Quando ir

■ De segunda a sexta, pois costumam ser dias menos concorridos. Os horários variam consideravelmente, mas a maioria das lojas abre às 8h e fecha por volta de 17h. Sábados, quase todas encerram o expediente às 14h. Funcionam aos domingos somente nesta época do ano (começou no último dia 21 e vai até o dia 19 de dezembro).

O que vestir

■ Roupas fresquinhas. Em geral, as lojas são apertadas e abafadas quando vazias. Imagine, então, na hora em que ficam lotadas, como nesta época do ano.

■ Sapatos confortáveis. Tudo indica que você vai caminhar bastante, afinal são mais de 200 lojas apenas na José Paulino. Nos arredores, chegam a quase 1.000.

O que levar

■ Uma amiga. Não só pela companhia, mas para ter quem cuide das sacolas enquanto você experimenta roupas.

■ Bolsa pequena (ou uma mochilinha). E ande com ela sempre colada ao corpo para diminuir o perigo de furtos.

■ Dinheiro. Nem todos os estabelecimentos dali aceitam cartões, sejam de crédito ou de débito.

■ Peças de tamanhos parecidos com os que deseja adquirir. As lojas não costumam ter provador e algumas não permitem nem mesmo experimentar roupas por cima das do corpo.

■ Biscoitinhos ou petiscos para enganar a fome. Praticamente não existem lanchonetes e restaurantes na própria José Paulino. Se for comer, o ideal é fazê-lo ao final da jornada, em algum dos estabelecimentos dos arredores.

O que NÃO levar

■ Crianças. Não só elas se entediam em questão de minutos, como ficarão cansadas de andar. E não há bancos e espaços para descanso.

Três dicas importantes:

1. Na hora de experimentar roupas, nada de deixar sacolas dando sopa no chão ou no balcão.

2. Para conseguir mais descontos a dica é ir com um grupo de amigas. A venda por atacado varia entre três e doze peças de modelos sortidos. Mas atenção: alguns estabelecimentos exigem Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Pergunte antes para não perder tempo.

3. Peculiaridades do comércio local: se você quiser trocar uma roupa porque achou a cor feia, beleza. Tamanho também. Agora, se não curtiu o modelo, é uma dor de cabeça — a maioria não aceita. Outro detalhe: peças na promoção não são trocadas nem por causa de defeito.

E boas compras!

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO