Abertura

Bologna reabre na rua Augusta com novidades

Tradicional rotisseria voltou a funcionar nesta terça (29) e conta agora com serviço de padaria, doceria e lanchonete. Depois do Carnaval, deve abrir 24 horas

Por: Sophia Braun - Atualizado em

Bologna
Bologna repaginada: salão em estilo retrô para até cem pessoas sentadas (Foto: Sophia Braun)

Fechada para reforma desde dezembro de 2011, a octogenária Bologna voltou a funcionar nesta terça (29) na mesma esquina das ruas Augusta e Marquês de Paranaguá, no Baixo Augusta, onde está instalada há mais de cinquenta anos.

“Nós recebemos cerca de 4 000 clientes só no primeiro dia”, estima a atual proprietária Gleusa Ferreira, à frente também da padaria Saint Germain e da sorveteria Vipiteno, ambas no Itaim Bibi.

Ao lado do marido, Wagner Ferreira, e de um grupo de investidores, ela fez barba, cabelo e bigode na antiga rotisseria. “Ampliamos o salão e passamos a servir pães, doces, lanches, carnes e massas ao mesmo”, explica.

Bologna
Camarão empanado: um clássico da rotisseria octogenária (Foto: Sophia Braun)

Oferecidas à la carte das 12h às 18h, as sugestões variam de R$ 18,00 a R$ 35,00. Futuramente, também haverá um prato do dia para o almoço executivo.

Quem era fã do frango assado (R$ 21,00) ou do camarão empanado (R$ 12,50), porém, pode respirar aliviado. Esses e outros itens tradicionais permaneceram no cardápio. E continuam sob os cuidados dos mesmos cozinheiros. “Dos dezenove funcionários que havia antes, dezessete ainda integram a equipe”, diz Gleusa.

É o caso de Sebastião, que conta mais de quatro décadas na produção dos folclóricos salgados. Outro veterano do pedaço, seu Luiz é a mão por trás do galeto preparado em “televisão de cachorro”, eleito em 2007 o melhor da cidade pelo especial “Comer & Beber” de VEJA SÃO PAULO.

Bologna
Sorvetes de produção própria: novos sabores à base de frutas (Foto: Sophia Braun)

Apesar de ter repaginado por completo o espaço, que ganhou ares retrô no projeto do arquiteto Washington Fiuza, Gleusa garante ter congelado os preços dos produtos. “Tenho uma lista escrita à mão pelos antigos donos”, afirma.

Entre as novidades, foram acrescidos sabores de sorvete produzidos artesanalmente, como manga, limão e morango, e o balcão de serviço expresso debruçado sobre a Rua Augusta.

Boa-nova para os famintos da madrugada, a loja funcionará 24 horas. “Ainda estamos acertando as coisas, mas devemos estar a todo vapor depois do Carnaval”. Até lá, a padaria Bella Paulista, na Rua Haddock Lobo, continuará como point dos baladeiros da região.

Fonte: VEJA SÃO PAULO