Caso Boldrini

Perito afirma que carta de suicídio da mãe de Bernardo foi forjada

Informação deve ser usada por família para reabrir o caso; pai e madrasta do garoto são acusados pela morte do menino

Por: Veja São Paulo

Ddilaine e Bernardo
Odilaine Uglione e o filho Bernardo Boldrini: enfermeira morreu em 2010 e o menino, em 2014 (Foto: Reprodução)

Um laudo elaborado por um perito de São Paulo aponta que a carta de suicídio assinada por Odilaine Uglione, mãe do menino Bernardo, teria sido escrita por outra pessoa. A informação foi revelada pelo programa Fantástico, da Rede Globo, na noite desse domingo.

A enfermeira foi encontrada morta em 2010 na clínica do então marido, o médico Leandro Boldrini, em Três Passos, no Rio Grande do Sul. Na época, a investigação demonstrou que ela teria cometido suicídio.

+ Homem mata a namorada grávida e leva cabeça a delegacia

O filho do casal, Bernardo, foi assassinado em abril de3 2014. O corpo do menino foi localizado dez dia após o desaparecimento. O pai, Leandro Boldrini, e a madrasta do menino de 11 anos,  Graciele Ugulini, estão presos, acusados pela morte da criança.

+ Criminosos roubam caixa eletrônico durante festa na PUC

A perícia particular foi contratada pela família de Odilaine. A carta tem frases como: “ele pediu a separação. Perdi meu chão".

+ Confira as principais notícias da cidade

O laudo foi elaborado pelo perito judicial em São Paulo, Ricardo Caires dos Santos. “Não foi a dona Odilaine que escreveu. São dois punhos totalmente diferentes. Pessoas diferentes que assinaram”, disse Santos para o programa. Ainda de acordo com a reportagem, o Ministério Público já pediu para a polícia novas informações sobre a investigação feita na época.

Fonte: VEJA SÃO PAULO