Consumo

Black Friday nacional decepciona consumidores

Descontos modestos, falhas de sistema para as compras on-line e ofertas enganadoras são as principais queixas

Por: Redação VEJINHA.COM - Atualizado em

Lojas - gratuitas_2163
(Foto: Gisele Libutti)

A Black Friday brasileira, que ocorre nesta sexta, decepcionou. Se em 2011 o evento pegou todo mundo de surpresa e rendeu boas economias às pessoas mais conectadas (foi mais forte entre as lojas de varejo on-line), neste ano a data foi marcada por muita publicidade e pouca oferta.

+ Confira as lojas participantes da Black Friday no Brasil

Nos grandes magazines como Ponto Frio e Casas Bahia, os descontos não empolgaram. A TV de LCD 40 polegadas Sony saiu de R$ 1.699,00 para R$ 1.299,00 no site do Ponto Frio. São R$ 400,00 a menos, mas nada que uma boa vasculhada por outras lojas do ramo ou qualquer outra oferta relâmpago não faça igual. Nas Casas Bahia, a máquina de lavar Brastemp para 9 quilos saiu de R$ 999,90 para R$ 799,00. Parece atraente para um produto geralmente mais caro, mas uma busca rápida num comparador de preços ou no Google mostra outras lojas, que não participam da Black Friday, vendendo o produto pelo mesmo preço.

Quem não decepcionou pelos preços, fez feio pelas falhas de serviço e sistema. Foi o caso da TAM, que de fato baixou o valor das passagens aéreas (o trecho São Paulo – Londres, por exemplo, está sendo vendido a R$ 782,10 para algumas datas), mas o sistema não suportou o número de acessos. Por vários momentos ao longo do dia a página de busca demorou para ser carregada.

Mas algumas lojas adotaram uma estratégia interessante: além do desconto nas peças, oferecem entre 10% e 15% a mais de abatimento para compras pagas com boleto bancário.

Para monitorar as fraudes, uma equipe de sete pessoas da empresa organizadora do evento, a Busca Descontos, comparou nos últimos dois meses os preços de produtos-chave das lojas participantes. Desde o início da promoção, mais de 500 ofertas já foram retiradas do ar por maquiarem os preços originais dos produtos.

No site da organizadora foi colocado o botão “denuncie”, que os clientes podem acionar para reportar ofertas suspeitas. Também com base em denúncias de clientes frustrados, o Procon-SP notificou nesta tarde as empresas Extra (loja física e virtual), Ponto Frio, Submarino, Americanas.com, Wal-Mart, Saraiva e Fast Shop por indícios de maquiagem nos descontos.

O organizador do evento também foi notificado e deve prestar satisfação sobre os problemas de acesso às ofertas que ocorreram nesta madrugada, quando o site ficou carregado devido à quantidade de usuários.

Todas as empresas terão até a próxima sexta-feira (30) para prestar esclarecimento. Ainda assim, a Black Friday deste ano já superou em sete vezes os acessos do ano passado.

Fonte: VEJA SÃO PAULO