Exposições

Bienal de SP: especialistas indicam obras imperdíveis

Para percorrer os 36 000 metros quadrados do prédio e admirar todas as instalações, fotografias e vídeos expostos, é preciso ter muito tempo disponível

Por: Daniel Ottaiano - Atualizado em

Bienal de SP - Nuno Ramos
A instalação 'Bandeira Branca', de Nuno Ramos, perdeu parte de seu atrativo depois que os urubus foram retirados, mas segue como uma das obras mais indicadas pelos especialistas (Foto: Divulgação)

A 29ª Bienal de São Paulo vai até 12 de dezembro e réune mais de 600 obras, de 159 artistas, espalhadas pelos três pavimentos do pavilhão do Parque do Ibirapuera. Para percorrer os 36 000 metros quadrados do prédio e admirar todas as instalações, fotografias e vídeos expostos, é preciso ter muito tempo disponível. Para quem não quer perder o maior evento de arte da cidade, mas planeja uma visita mais objetiva, conversamos com cinco especialistas da área, que indicaram, cada um, cinco obras imperdíveis da mostra.

+ Bienal: Ibama revoga licença e retira urubus de obra de Nuno Ramos

+ Confira 25 obras da 29ª Bienal de São Paulo

+ 29ª Bienal de São Paulo: sopro de vida

+ Bienal de SP: galerias e museus da cidade têm mostras paralelas

+ Veja mapa com a localização exata das obras da 29ª Bienal de SP

Alguns artistas são recomendados por mais de um especialista, caso do belga Francis Alÿs, que filmou tornados e tempestades de areia no México. O forte conjunto de fotografias da americana Nan Goldin também aparece mais de uma vez em nossa lista. Ela registrou sua própria intimidade e a de seus amigos (inclusive em cenas de sexo), desde 1979.

A polêmica instalação ‘Bandeira Branca’, do paulista Nuno Ramos, é outra obra que não podia ficar de fora. Os três urubus que viveram por treze dias no vão central da Bienal causaram protestos e pichações até que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) retirou os animais, na última quinta (7), para devolvê-los ao habitat natural, em Itabaiana (Sergipe). A obra segue ocupando seu espaço e, mesmo sem as aves, ainda é uma atração recomendada pelos críticos.

Confira abaixo cinco roteiros para curtir a Bienal indicados pelos especialistas:

  • Confira as obras indicadas pelo repórter de VEJA SÃO PAULO
    Saiba mais
  • Confira as obras indicadas pelo crítico de arte de ‘O Estado de S. Paulo’
    Saiba mais
  • Confira as obras indicadas pelo repórter que escreve para as revistas Piauí e Bravo!
    Saiba mais
  • Confira as obras indicadas pela editora da revista ‘Bravo!’
    Saiba mais
  • Confira as obras indicadas pelo editor do ‘Mapa das Artes’
    Saiba mais
  • Grátis / Exposições

    29ª Bienal de São Paulo
    VejaSP
    1 avaliação
    O mais importante evento de arte contemporânea do país chega à 29ª edição em excelente forma. Livre dos problemas administrativos e financeiros dos últimos anos, a Bienal exibe, desta vez, cerca de 600 obras de 159 artistas. Vale a pena, portanto, reservar um tempo generoso para apreciar a mostra — é até recomendável fazer mais de uma visita. Das inúmeras atrações, fique atento à instalação Abajur, de Cildo Meireles: por meio de um mecanismo movimentado por três homens, uma tela exibe imagens idílicas de praias. Outros destaques são as pinturas do conjunto Matéria Noturna, de Rodrigo Andrade, e o tocante curta-metragem Je Vous Salue, Sarajevo, de Jean-Luc Godard, marcado por uma sofisticada reflexão estética (“cultura é a regra, arte é a exceção”, narra Godard). Entre os nomes já falecidos, sobressai a célebre e soturna Série Trágica — Minha Mãe Morrendo, de Flávio de Carvalho. De 25/09/2010 a 12/12/2010.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO