Restaurante

Becco 388 tem atmosfera intimista e cozinha caprichada

Cada vez mais gastronômica, a Rua Mato Grosso, ganhou charmoso endereço, aberto em fevereiro pelo casal de chefs André Barone e Daphne Glidden

Por: Arnaldo Lorençato - Atualizado em

Becco 388_2162
O salão estreito: iluminação de velas no jantar (Foto: Fernando Moraes)

Cada vez mais gastronômica, a Rua Mato Grosso, atrás do Cemitério da Consolação, ganhou um charmoso endereço de cozinha variada. Trata-se do Becco 388, aberto em fevereiro pelo casal de chefs André Barone e Daphne Glidden. A dupla se conheceu durante o curso de gastronomia na Universidade Anhembi Morumbi, em 2000. Depois de formada, Daphne foi trabalhar na Itália. Na volta ao Brasil, juntou-se a Barone e seguiu para os Estados Unidos. Dessa experiência internacional resultou o cardápio do novo restaurante.

Enquanto ele se ocupa do fogão, ela recebe a clientela no agradável salão valorizado por um grande candelabro de parede. Nessa atmosfera intimista, surgem receitas como o clássico coquetel de camarão (R$ 35,00) em versão moderninha. Composto de um trio de crustáceos, tem a companhia de maionese picante para ser misturada a salsão, cebola-roxa, gengibre e milho desidratado, tudo bem picado. Dos pratos principais, o risoto de costela coroado por anéis de cebola (R$ 35,00) agradou pela delicadeza obtida nessa carne, cozida lentamente no vinho tinto. O mesmo equilíbrio não se notou no ravioloni de salmão (R$ 40,00). Embora fosse regada com um bom molho de queijo de cabra ao limão-siciliano, a massa era espessa demais.

De sobremesa, o merengue de rosas (R$ 20,00) lidera a preferência. Ao escolher os vinhos, preste atenção nas meias garrafas. Algumas estão a preços atraentes, caso do argentino Catena Malbec 2007, por R$ 33,00.

COMIDA ✪✪✪ | AMBIENTE ✪✪✪✪ | SERVIÇO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO