CIDADE

Bebê morre após muro ser derrubado por chuva em São Paulo

Arthur Alves de Oliveira, de 1 ano, foi encaminhado para o Hospital do Mandaqui, na Zona Norte, mas não resistiu aos ferimentos

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

chuvatremembe
Chuva derrubou muro de casa na região do Tremembé (Foto: reproução)

Um bebê morreu depois que a força da água da chuva de quarta-feira (27) invadiu a residência em que ele estava, na rua Doutor Nelson Saad, no Tremembé, Zona Norte. Arthur Alves de Oliveira, de 1 ano, foi atingido pelo desabamento de um muro da casa. Ele estava internado no Hospital do Mandaqui e morreu na tarde de quinta-feira.

A Polícia Militar informou que os bombeiros foram chamados e prestaram os primeiros socorros, por volta das 16 horas de quarta-feira, ao menino e a outra criança, cuja identificação não foi revelada, que se feriu com a queda da estrutura. Arthur foi encaminhado, primeiramente, ao Hospital Militar, na Zona Sul e, depois, ao Mandaqui. A Secretaria Estadual da Saúde confirmou a morte, mas não divulgou a causa.

A criança ferida foi levada ao Hospital Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte. Segundo informou a dona da residência atingida pela chuva, Elaine Nascimento, essa criança já estava em casa na noite de quinta-feira.

arthurbebe
Arthur Alves de Oliveira, de 1 ano: morte após chuva forte em São Paulo (Foto: Reprodução)

Elaine explicou que sua irmã, cuidadora, tomava conta de seis crianças na casa no momento do acidente. Elaine não estava no local. "Minha irmã disse que o muro estourou, desabou, e as crianças estavam embaixo." Os outros quatro não foram atingidos pelos destroços.

Consequências

A quarta-feira foi o dia mais chuvoso do ano em São Paulo. As pancadas causaram o transbordamento de quatro córregos. A região do Tremembé foi a mais atingida pela água, com registro de 74 milímetros de pluviometria, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). A média na cidade foi de 39,3 mm.

+ Confira as últimas notícias da cidade

Nas proximidades do Horto Florestal, na mesma região, uma adutora da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) se rompeu e alagou ruas e casas, deixando pessoas ilhadas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO