Gente

Paul Zaloom, o Beakman, levanta público da Campus Party

Ator leva nerds ao delírio ao relembrar os principais momentos do programa de ciência que protagonizou nos anos 90

Por: Felipe Neves - Atualizado em

Beakman
Zaloom: palestra animada (Foto: Felipe Neves)

Foi com o jaleco verde característico e os cabelos desgrenhados de sempre que o ator Paul Zaloom subiu ao palco Terra, nesta terça-feira (5), levantando o público da Campus Party, nostálgico ao ver o protagonista da série de TV O Mundo de Beakman. Sucesso nos anos 90, o programa misturava ciência e comédia para atrair o público infantil. Bem-humorado e interagindo com a plateia, Zaloom reeditou antigas experiências e velhas frases no show, um dos mais esperados do evento.

+ Campus Party começa na capital com musa geek e xaveco nerd

“Imagina você crescer, ver o Beakman ali na TV e depois de anos estar lá no palco com ele? Na minha primeira Campus, ainda? Foi uma experiência maravilhosa”, contou a estudante baiana Isabela Sardeiro, 22, que participou de uma das brincadeiras durante a apresentação do ator. “Quando eu era criança, certa vez ele falou sobre os estados da água em um episódio e, na mesma semana, tive uma prova sobre o tema. Fiz sem problemas.”

Levando o público ao riso do início ao fim, Zaloom não poupou nem mesmo a crise hídrica vivida pelos paulistanos para fazer piada. “Temos aqui um pouco da água de São Paulo”, brincou, ao segurar uma jarra contendo um líquido amarelado que usaria em uma das experiências.

Beakman
Jéssica Moreno: fã a caráter (Foto: Felipe Neves)

Com a mesma simplicidade com que falava às crianças no programa de TV, o astro ainda deu exemplos práticos de como a força gravitacional age nos corpos e de como a pressão atmosférica interage com os objetos. Para isso, utilizou um rolo gigante de papel higênico combinado a um compressor de ar, fazendo o material planar sobre a plateia. “Era o último rolo da Campus”, divertiram-se alguns dos participantes. “É porque os brasileiros têm bundas muito grandes”, replicou o ator.

+ Esquenta mercado de produtos para a economia de água

Homenageando o personagem com o mesmo jaleco verde de Beakman, a goiana Jéssica Moreno, 23, se destacava entre os fãs. Estudante de sistemas da informação, ela conta que o seriado a inspirou a seguir a carreira acadêmica. “Chegava da escola e sempre assistia. Foi fundamental para o que eu sou hoje. Ainda assisto os episódios pela internet. Fico maluca ouvindo a introdução”, afirma.

Na segunda parte do show de hoje, já sem a fantasia, Paul relembrou os momentos mais marcantes da série e homenageou o amigo Mark Ritss, que encarnava o rato Lester, um dos assistentes de laboratório do cientista. Ritss morreu em 2010, vítima de um câncer. “Tenho saudades dele o tempo todo. Era simplesmente um ser humano maravilhoso”, lembrou.

Ventríloco premiado nos EUA, Paul também é diretor e humorista. Ele gravou cerca de noventa episódios durante o período em que a série foi produzida. Sucesso em lugares como Canadá e México, a atração ainda foi transmitida em mais de vinte países ao redor do mundo. No Brasil, O Mundo de Beakman foi exibido pela TV Cultura, entre 1994 e 2005.

Beakman
Beakman: sucesso nos anos 90 (Foto: Felipe Neves)

Fonte: VEJA SÃO PAULO