Consumo

Temporada de bazares de Natal

Garimpamos as vendas temporárias — de roupas a peças de decoração — com até 80% de desconto para você bancar o Papai Noel sem terminar o ano no vermelho

Por: Patricia Moterani - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

O Natal é a época típica dos bazares. De olho nos consumidores com uma lista de presentes extensa a cumprir, empresários, entidades filantrópicas e até consulados armam vendas temporárias de produtos. Ainda que alguns se mantenham fiéis à ideia de vender peças novas com descontos razoáveis (que tal um biquíni com estampa de cobra de R$ 200,00 por R$ 60,00?), já vai o tempo em que bazar e pechincha eram obrigatoriamente sinônimos. O barato do bazar é dar acesso a itens que não são encontrados facilmente nas lojas de shopping e de rua. Nos endereços selecionados por VEJA SÃO PAULO, é possível comprar desde uma calça jeans usada pelo astro pop Michel Teló até enfeites para pinheirinhos produzidos por artesãos peruanos, passando por acessórios de grifes internacionais.

+ Veja galeria de imagens com mais produtos

Acervo de estrelas

Temporada de Bazares - Ed. 48 - Bastidores da Moda
Saia de R$ 249,00 por R$ 180,00 no Bastidores da Moda (Foto: Divulgação)

Responsável pelo visual de artistas como o cantor sertanejo Michel Teló, os integrantes da banda Restart e a cantora teen Manu Gavassi, a stylist Malena Russo organiza desde 2009 o bazar Bastidores da Moda. Ela põe à venda peças que fizeram parte dos figurinos de shows, além de criações próprias, como saias e tops para a noite. Entre as 500 peças, há itens com etiqueta Animale, Tufi Duek e Doc Dog. Nas araras, jaquetas do Restart, calças jeans de Teló e vestidos de Manu vêm devidamente identificados. Os preços ficam entre R$ 20,00 (camisetas) e R$ 499,00 (par de sapatos).

■ Quando: até 24 de dezembro, de segunda a sábado, das 11h às 19h

■ Onde: Rua Campevas, 627, Perdizes, Tel.: 3877-0459

 

Natal artesanal

Temporada de Bazares - Ed. 48 - Bazar Panaceia
Apoios de livros de inox de R$ 210,00 por R$ 175,00 no Bazar Panaceia (Foto: Divulgação)

Desde 1995, Paula Moreno, uma das donas do ateliê Panaceia, loja especializada em produtos artesanais (de objetos para casa até artigos para montar o enxoval do bebê), promove um bazar com brinquedos, itens de papelaria, acessórios femininos e peças de decoração. Na edição deste ano, é possível encontrar as bolsas de couro com veludo e paetês da designer paulistana Pat Motta (preços entre R$ 75,00 e R$ 250,00), peças de cerâmica assinadas por Regina Esher (o conjunto de prato de sobremesa e xícara sai por R$ 94,00), jogo de travesseiros e colcha de casal de patchwork de algodão da marca própria e apoios de livros de inox (fotos), entre outras opções.

■ Quando: até o dia 24 de dezembro. De segunda a sexta, das 10h às 20h; sábados, das 10h às 18h; e aos domingos, das 12h às 16h

■ Onde: Rua Delfina, 91, Vila Madalena, Tel.: 3814-0234

 

OS CINCO MANDAMENTOS DA BOA COMPRA EM BAZAR

Cristina Zanetti, da consultoria de moda Oficina de Estilo, ensina a encher a sacola sem se arrepender depois

1. Regra de três

Quando for comprar um item, pense se ele combina com pelo menos outros três que você já tem no armário, cada qual usado em determinada ocasião. A nova aquisição tem de ser coordenada com uma peça para a noite, uma para o dia a dia e outra para o trabalho.

2. Roupas, só para os íntimos

Comprar em bazar significa não poder trocar a peça. Portanto, se for dar um presente a alguém, compre apenas para quem você conhece bem a ponto de escolher opções adequadas ao gosto e corpo da pessoa. Caso contrário, se o tamanho for menor ou a cor não agradar, você terá lhe dado uma dor de cabeça. Para o chefe ou para o amigo-secreto, prefira um presente neutro, como um artigo de decoração ou de papelaria.

3. Experimente

São raros os bazares que oferecem provador e espelho — a dupla imbatível na hora de saber se a peça caiu bem. Para as mulheres que querem garimpar roupas, uma boa dica é sair às compras usando um vestido soltinho. Dessa forma, é possível experimentar um short ou uma calça, por exemplo, sem se despir (escolha um canto discreto e, se conseguir, peça a uma amiga para dar cobertura). Em caso de dúvida, não leve. Isso evita que você gaste dinheiro à toa.

4. Varie as compras

Achou uma sapatilha linda, baratinha e confortável? Ótimo, mas não caia na tentação de fazer uma aquisição em série, arrematando todas as cores. Escolha apenas um par. Se levar o mesmo modelo em diferentes cores, pode parecer que você está sempre com o mesmo par.

5. Pense duas vezes

Está na dúvida? Controle o impulso da compra. Peça um tempinho, vá tomar um café e repense. Não adianta levar algo para casa só porque está barato. É melhor pagar R$ 100,00 em uma bolsa que será usada mais de quinze vezes do que R$ 15,00 em uma que logo será esquecida no armário.

Fonte: VEJA SÃO PAULO