Mistérios da Cidade

Duelo na frigideira: batata-doce X batata-frita

A novidade apresenta alto teor de vitamina A e já é tendência em lanchonetes paulistanas

Por: Mauricio Xavier [Com reportagem de Lívia Roncolato, Nathalia Zaccaro e Ricky Hiraoka] - Atualizado em

Batata inglesa
A batata-doce, segundo nutricionistas, ajuda inclusive no desenvolvimento ósseo (Foto: Fernando Moraes)

Servida frita, a batata-doce foi incorporada ao cardápio de lanchonetes como La Sanguchería, inaugurada há três meses, e Meats. Com preço idêntico ao da tradicional batata-inglesa nas duas casas (4 reais na primeira e 18 reais na segunda), a novata leva vantagem na presença da vitamina A. “Ela ajuda no desenvolvimento ósseo”, diz a nutricionista Priscila Di Ciero. Veja, abaixo, um comparativo entre as duas.

Batata-frita: ganha nas proteínas, tem 2,21 gramas contra 1,75, para uma porção de 100 gramas.

Batata-inglesa: sua principal vantagem é a concentração de vitamina A: 21.824 UI (medida para vitaminas) contra quase zero da “rival”.

+ Site aproxima donos de imóveis e grafiteiros

+ Os elevadores mais antigos de São Paulo

+ Por onde andam as ex-panicats?

Fonte: VEJA SÃO PAULO