COMIDINHAS

Barista ensina a escolher o melhor café no supermercado

Tabatha Creazo, do Octavio Café, dá boas dicas para quem não dispensa um cafezinho passado em casa

Por: Fábio Galib - Atualizado em

ESPECIALCAFELM7
Tabatha Creazo: barista do Octavio Café (Foto: Leo Martins)

Não faz muito tempo que, na hora de escolher um café no supermercado, bastava decidir entre o “suave”,  o “forte” e o"extra forte". Hoje, é só passar os olhos pela gôndola para perceber que o cenário evoluiu – e bastante. Há uma profusão de marcas, origens e tipos que pode deixar indeciso até um entusiasta da bebida. Para auxiliar na compra, Tabatha Creazo, barista do Octavio Café, lista algumas dicas preciosas. Confira:

+ Os melhores endereços para tomar café

Procure pelo selo de qualidade da Abic: Embora a legislação não imponha nenhum selo às marcas, algumas adotam a chancela criada pela Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Por meio de notas (numa escala de 4,5 a 10), a entidade distingue os tipos tradicional, superior e gourmet. “O tradicional, de qualidade mais baixa, geralmente é composto de um blend de grãos arábica e robusta”, explica Tabatha. “No outro extremo, o gourmet é 100% arábica, o que resulta em uma bebida mais complexa.”

Veja se a embalagem traz o nome da fazenda produtora: “Dificilmente uma fazenda vai querer associar seu nome a um produto de má qualidade”, afirma a barista. Outros dados que podem indicar um bom grão são a região produtora, a variedade e a altitude do cultivo do café.

+ Novidades de inverno incrementam o menu da Frida & Mina

Grãos de café da cafeteria Suplicy Cafés Especiais
A cor do grão: torras muito escuras podem ocultar defeitos do café (Foto: Fernando Moraes)

Fique atento à data da torra: O café, a partir do momento em que é torrado, mantém suas características por não mais que um mês. “Os grãos entram em processo de oxidação e vão perdendo aromas”, explica a moça.

Evite torras muito escuras: Para uma bebida de melhor qualidade, sempre vale dar preferência a grãos de torra clara ou média. De acordo com Tabatha, “a torra escura muitas vezes é feita para esconder os defeitos do café” – não raro, o resultado é uma bebida com amargor pronunciado. Por isso, é necessário usar muito açúcar.

Em casa: Café tem que ser moído na hora, todo mundo sabe. Mas, como são poucos os que têm moinho em casa, dá para comprar o pó e armazená-lo por, no máximo, sete dias. “Recomendo guardar na embalagem de origem dentro de um pote hermético e fora da geladeira”, diz Tabatha. “O ideal, portanto, é adquirir sempre em pequenas quantidades."

Fonte: VEJA SÃO PAULO