Noite

Os dez melhores bares para paquerar em São Paulo

Para idades e públicos diversos, os lugares de onde é difícil sair desacompanhado

Por: Redação VEJA SÃO PAULO on-line - Atualizado em

Wall Street - abre
O bar Wall Street, no Itaim: cotação de cervejas e lounge para conversar (Foto: Divulgação)

Que tal tomar uma boa caipirinha de limão (ou kiwi, tangerina...) enquanto você procura sua metade da laranja? Pois é, sempre que se fala em arrumar alguém para chamar de seu, logo vem à mente uma balada bombada e tal, poxa. Mas andar por aí, bar em bar, pode ser a chance de se descolar — não à toa, vários desses estabelecimentos ganharam fama de points frequentados pelo cupido. Capriche na produção, passe um perfuminho e boa sorte em um dos DEZ MELHORES BARES PARA PAQUERAR, relacionados abaixo do mapa a seguir.

  • Bares variados

    Eu Tu Eles

    Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2902, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3071 4535

    VejaSP
    7 avaliações

    É altíssima a frequência do pessoal recém saído dos escritórios da região. Os clientes se apinham nos salões de paredes de taipa decorados com fitinhas do Senhor do Bonfim. Há quem prefra a área externa, um pouco mais sossegada, na hora de entornar uma cervejinha em copo americano (Original, R$ 14,99). Outra escolha usual é a caipirinha, servida em pote de vidro — a que combina caju e limão (R$ 22,99) é das boas. Para fazer tabela, grelhados: o mix da churrasqueira (R$ 94,99) dá para três pessoas e reúne filé de frango, linguiça, fraldinha e picanha, além de farofa e vinagrete. A casa pertence aos mesmos donos do Tatu Bola.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Bar-balada

    Kia Ora

    Rua Doutor Eduardo de Souza Aranha, 377, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3846 8300

    VejaSP
    3 avaliações

    A casa se define como um pub de inspiração australiana e neozelandesa. Isso significa que o ambiente escurinho de seus similares britânicos dá lugar a um amplo galpão, em que um mezanino se debruça sobre o palco, onde rolam shows de pop rock. A música ao vivo serve de pretexto para a paquera. Na seleção de cervejas na pressão, encontra-se a inglesa Old Speckled Hen (R$ 25,00 o pint). Boa companheira dos copos, a porção de fritas com casca vem apimentadinha junto de creme azedo (R$ 20,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Blá Bar e Restaurante

    Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 5003, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3052 2448

    6 avaliações

    A diversão começa na happy hour, movida a drinques como a caipi brigadeiro, mistura de vodca, chope (Itaipava) e suco de limão-siciliano. Com o avançar das horas, o lugar ganha clima de baladinha, com som de DJ e, dependendo do dia, shows de pop rock e MPB. Dos petiscos, peça os canapés de mini-hambúrguer, nas versões filé-mignon, frango e salmão.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Wall Street Bar

    Rua Jerônimo da Veiga, 149, Jardim Europa

    Tel: (11) 3078 3050

    5 avaliações

    Aqui, o preço das bebidas oscila conforme o número de pedidos, imitando uma bolsa de valores. Os clientes comandam a brincadeira de terminais de touch screen instalados nas mesas e acompanham a “cotação” nos letreiros eletrônicos nas paredes. Marcas de cerveja como Stella Artois, Norteña e Colorado abastecem a jovem clientela. Os petiscos têm valor fixo. Mire os mini-hambúrgueres incrementados por pasta de raiz-forte.

    Saiba mais
  • Drinques

    SubAstor

    Rua Delfina, 163, Pinheiros

    Tel: (11) 3815 1364

    VejaSP
    11 avaliações

    Não é raro chegar ao bar, instalado no subsolo do Astor, e encontrar o salão apinhado. Culpa do bartender italiano Fabio la Pietra, que se desligou da casa em setembro, mas deixou uma ótima seleção etílica como legado. O interino e ex-braço-direito, Rogério Frajola, na casa desde a abertura, executa junto da equipe pedidas como o dark & stormy (R$ 31,00), feito de rum, melado de cana e limão-taiti e finalizado com um marcante refrigerante de gengibre.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Bardot

    Rua Clodomiro Amazonas, 260, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3168 9988 ou (11) 3071 2859

    VejaSP
    8 avaliações

    Eis mais um bar de estilo playboy do Itaim. Apesar de se autointitular “boteco bistrô”, tem poucos elementos que lembram aqueles restaurantezinhos franceses, como os tecidos vermelhos que forram algumas pilastras. A house music pulsa em alto e bom som nas caixas e colabora para o clima agitado, que ganha força aos domingos, dia em que a casa vira uma balada, animada por bandas pagode e sertanejo. Depois de ficar pouco mais de um mês fechado, em 2013, o bar reabriu no fim daquele ano com a varanda que antecede o salão coberta por um teto de vidro. O pessoal bebe chopes Brahma (R$ 9,00 o claro; R$ 10,00 o escuro), Stella Artois e Bohemia Imperial (R$ 10,00 cada um). A carta de coquetéis lista seis receitas com espumante. Servido na taça flûte, o l’orangerie (R$ 25,00) leva ainda licor Grand Marnier, conhaque e suco de laranja. O cardápio mastigável “relê” clássicos de boteco. Prove o saboroso coelho à passarinho (R$ 38,00), coberto por molho de ervas e azeitonas.

     

    Preços checados em setembro/outubro de 2014.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Vaca Véia

    Rua Manuel Guedes, 199, Jardim Europa

    Tel: (11) 3073 1292

    VejaSP
    7 avaliações

    Todo fim de tarde este bar de esquina fica abarrotado de trintões e quarentões que saem dos escritórios da região. São dois os motivos de tanta muvuca, que quase sempre se estende para a calçada: beber baldes de cerveja e paquerar. Seja qual for o objetivo, opções não faltam. Há cerveja em garrafa, como a Serramalte (R$ 13,90), e também alguns drinques. Das boas, a cozinha expede porções como a de coxinha (R$ 33,50), ótima, e carne bem churrasqueada, caso do ojo de bife com farofa e vinagrete (R$ 62,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Chope e cerveja

    Balcão

    Rua Doutor Melo Alves, 150, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3063 6091

    VejaSP
    4 avaliações

    Cheio de meandros, o balcão de 25 metros de comprimento toma todo o térreo. As cinquenta banquetas são ocupadas por casais e pequenos grupos. Nem sempre no ponto, o chope da cervejaria paulista Oak Bier custa R$ 6,50. Como alternativas, há o correto bloody mary (R$ 21,00) e garrafas de vinho. Uma página inteira do cardápio lista versões de hambúrguer. O sírio (R$ 25,00) traz um bifão de carne moída úmido e ao ponto no pão sírio crocante com queijo prato, tomate verde, alface fresquinha e batata palha.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Z Carniceria

    Avenida Brigadeiro Faria Lima, 724, Pinheiros

    Tel: (11) 2936 0934

    VejaSP
    9 avaliações

    A sensação é de déjà-vu. Nos anos 80 e 90, funcionou no endereço a casa de shows Aeroanta. E o “novo” nome, o proprietário Facundo Guerra pegou emprestado de outro bar que ele tocou na Rua Augusta. Ainda assim, a casa trouxe um agito cheio de frescor ao Largo da Batata. De quinta a sábado, atrações de jazz, blues, folk e rock apresentam-se no lugar. E o público encontra ótimas comidinhas e drinques. Peça o st. james (R$ 28,00), mistura de rum, limão e redução de cerveja com melaço de cana.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Chope e cerveja

    Mercearia São Roque

    Rua Amauri, 35, Itaim Bibi

    Tel: (11) 3062 2612

    VejaSP
    1 avaliação

    Instalada desde 1990 numa esquina do comecinho da Rua Amauri, quase escondida, a Mercearia São Roque é daqueles endereços que não saem de moda. Suas mesas sempre estão apinhadas de um público maduro e bem de vida, a fim de botar a conversa em dia e bebericar um chope Heineken nos conformes (R$ 9,50) ou então a caipirinha do merça — uma acertada combinação de limão-siciliano, lichia e gengibre (R$ 18,80). A coxinha sai no capricho, com massa bem cremosa (R$ 38,60, seis unidades). Da cozinha beeeem variada sai até um ceviche (R$49,10) suavemente temperado e acompanhado de chips de banana-da-terra.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO