Bares

Bares para comer bolinho de arroz

Veja abaixo endereços que servem boas versões do quitute

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

bolinho-pompeia
Bolinhos de arroz do Pompeia Bar: casquinha crocante (Foto: Mario Rodrigues)

Pedida tradicional de diversos bares da cidade, o bolinho de arroz nunca sai de moda. Sequinho e crocante, é o parceiro ideal para um chopinho gelado. Confira na seleção abaixo.

+ Encontre um bar novo com a sua cara

Bar do Nico: nas proximidades do Museu do Ipiranga, o casarão se destaca pela boa cozinha. A porção de bolinho de seis unidades custa R$ 29,00. Vai bem ao lado do chope Brahma (R$ 8,00).

Bar do Milton: nesse pizza-bar, o salgado recheado de queijo provolone sai por R$ 5,70 a unidade. Para beber, a melhor pedida é o chope (Brahma, R$ 6,20).

Bar Higienópolis: aninhado numa esquina acolhedora, foi aberto por um paulistano muito ligado ao bairro, Teodoro Eggers Neto, que cresceu e mora em Higienópolis. Chamada de bretagne, a porção com nove unidades (R$ 22,00) chega com chutney de frutas.

Cão Véio: Henrique Fogaça acumula as funções de vocalista de banda, jurado do MasterChef e chef de cozinha. Nessa última ocupação, ele manda bem no petisco (R$ 22,00, seis unidades), que ganha graça com parmesão, pimenta dedo-de-moça e molho de tomate.

Copa de Petiscos - Bolinho de arroz
Bolinho do Filial: em formato de croquete (Foto: Ivan Altman)

Filial: apesar da profusão de bares, a Vila Madalena tem poucos endereços com horário de funcionamento que avança a madrugada, como este aqui. Para acompanhar o chope (Brahma, R$ 7,10), a cozinha faz bonito na porção com oito unidades de bolinho de arroz com formato de croquete (R$ 26,00).

Goya
Do Goya: vem perfumado com pequi (Foto: Divulgação)

Goya: o quitute leva um toque do chef Diego Belda, titular dos fogões. Vem perfumado com pequi, o fruto da árvore do cerrado. Muito saboroso, chega à mesa em porção de seis unidades (R$ 16,00).

Lekitsch
Lekitsch: uma galinha de cerâmica serve de travessa  (Foto: Mario Rodrigues)

Lekitsch: no bar da Praça Roosevelt espere por uma decoração bem kitsch, repleta de objetos antigos. Uma simpática galinha de cerâmica serve de travessa para os salgados em tamanho míni, com queijo gorgonzola na massa. A porção custa R$ 26,00.

Pompeia Bar: famosos naquele pedaço da Zona Oeste, os bolinhos agradam pela crostinha de parmesão (R$ 33,50, oito unidades). Se recheados de carne-seca ou de salame e gorgonzola, o preço sobe para R$ 34,90.

Umbabarauma
Umbabarauma: recheados de parmesão (Foto: Ricardo D` Angelo)

Umbabarauma: é um boteco bem montado em um sobradinho antigo. Recheadas de parmesão, as oito unidades (R$ 18,00) chegam à mesa na companhia de três molhos: de tomate e de pimentas cambuci e dedo-de-moça

Bolinho de arroz Armazém Veloso - Crédito Mario Rodrigues
Proção do Veloso: cremosos (Foto: Mario Rodrigues)

Veloso: mesmo com fila para sentar, ninguém desiste. Os úmidos bolinhos de arroz e linguiça calabresa (R$ 24,00, oito unidades) vão bem com as imbatíveis caipirinhas, como a de vodca, tangerina e pimenta dedo-de-moça (21,00).

Fonte: VEJA SÃO PAULO