Bares

Novas casas oferecem capacidade máxima para quarenta pessoas

Recém-inaugurados, espaços com poucos metros quadrados priorizam clima aconchegante para bate-papo e serviço de primeira para os clientes

Por: Raphael Martins

Bares - Fachada do Bottega Bernacca (Lucas Lima)
O Bottega Bernacca, no Jardim Paulista: só 24 cadeiras (Foto: Lucas Lima)

O conceito é minimalista: poucos metros quadrados e pequena quantidade de mesas. Com boa comida e bebida, bares acanhados recém-inaugurados na capital dão prioridade ao bate-papo, deixando de lado a badalação típica desses negócios. Do fim do ano passado para cá, sete estabelecimentos no formato surgiram aqui. O mais novo é o Underdog, aberto em Pinheiros há um mês e meio, com 25 lugares e meros 15 metros quadrados. Lá são oferecidos carnes e hambúrgueres a preços acessíveis. O Mandíbula, no centro, funciona desde abril: são 26 cadeiras em 40 metros quadrados. Além dos quatro rótulos de cerveja artesanal, vende 600 discos de vinil.

Outros dois estabelecimentos do tipo chegaram neste ano. O Casa Café, de fevereiro, em Pinheiros, tem 38 assentos e é o maior da leva, com 120 metros quadrados. Os setenta tipos de cachaça, de várias regiões do Brasil, são o ponto forte. Com capacidade para 24 pessoas sentadas e 50 metros quadrados, o Bottega Bernacca, no Jardim Paulista, veio um mês antes. A especialidade é a cozinha italiana, acompanhada de uma carta com 33 vinhos. “Toda semana, montamos quatro opções de massa com ingredientes importados”, diz o sócio Gianluca Perino.

A onda recente começou no fim do ano passado. Em dezembro, apareceram o Cateto, na Mooca (36 lugares, 54 metros quadrados), e o Balcão 304, na Saúde (quarenta cadeiras, 100 metros quadrados). O primeiro aposta no mix entre cervejas e frios, enquanto o segundo avança na informalidade e dispensa até os garçons: os clientes retiram os pedidos direto do balcão. Aberto nas Perdizes no mês anterior, o Tiquim, com trinta assentos e 50 metros quadrados, une pratos requintados a cerveja. “Queria oferecer um serviço de qualidade em clima de boteco”, diz a chef e sócia Bianca Battesini.

  • Bom e barato / Cervejas especiais

    Balcão 304

    Rua Pitangueiras, 304, Saúde

    Tel: (11) 4327 0017

    VejaSP
    8 avaliações

    Não espere grandes confortos neste bar dedicado às cervejas especiais. Escondido em uma área residencial perto da Praça da Árvore, dispensa o serviço de garçons. Para pedir um petisco, como os gostosos bolinhos de risoto recheados de brie (R$ 25,00, sete unidades), é preciso dirigir-se ao balcão. As garrafas que matam a sede da clientela ficam expostas em uma estante. São perto de 100 rótulos, entre os quais preciosidades de 330 mililitros como a dinamarquesa To Øl Amazaison (R$ 30,00) e a escocesa Tennent’s (R$ 20,00) — esta, com leve aroma de uísque.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Vinhos

    Bottega Bernacca

    Rua Padre João Manuel, 826, Jardim Paulista

    Tel: (11) 3586 7103

    VejaSP
    3 avaliações

    Minúsculo, mas nem por isso menos acolhedor, o lugar tem apenas catorze lugares na parte interna e só mais uma dezena na calçada. Garrafas de vinho — ao todo, há vinte rótulos — são compartilhadas por casais e pequenas turmas, em taça ou copinho apelidado de piemontês. Uma possibilidade rosada é o francês Domaine Paul Mas Claude Val Rosé 2015 (R$ 99,90). De sotaque italiano, o menu sugere o rigatoni à bolonhesa (R$ 54,90), mas também sugestões francesas, como o croque monsieur (R$ 39,90).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Drinques

    Casa Café

    Rua Mourato Coelho, 25, Pinheiros

    Tel: (11) 2679 7956

    VejaSP
    3 avaliações

    Fundador do endereço, o mixologista Marco De la Roche se desligou do negócio em fevereiro. É possível notar sua saída nas prateleiras, que já não exibem a profusão de antes de garrafas garimpadas pelo mundo. Outro elemento que saiu de cena foi a estante com centenas de livros ligados ao universo dos destilados, propriedade do antigo dono. Já a carta de drinques permanece quase intocada, e os coquetéis de De la Roche são expedidos com qualidade pela equipe de barmen. Peça o mango mary (R$ 22,00), saborosa versão do bloody mary com suco de manga verde e vodca, temperado com limão, pimenta, molho inglês e for de sal. A caipirinha 1584 (R$ 22,00), inspirada na receita primitiva do drinque, traz sobre a mistura de cachaça, limão-taiti, mel e um dente de alho inteiro, assado com azeite de baunilha. Cabe ao cliente deixá-lo intacto, para apenas sentir o aroma, ou amassá-lo e integrá- lo ao líquido — não se preocupe, o resultado é suave. Na hora de petiscar, as almôndegas (R$ 29,00) vêm mergulhadas em molho de tomate e cobertas de mussarela.

    Preços checados em setembro/outubro de 2015. 

    Saiba mais
  • Chope e cerveja

    Cateto

    Rua Fernando Falcão, 810, Mooca

    Tel: (11) 2367 7521

    VejaSP
    3 avaliações

    O interessante bar de cervejas especiais nasceu na Mooca e ganhou uma filial em Pinheiros. De trigo, o rótulo Invicta Iniciação (R$ 25,00, 500 mililitros) agrada ao público, assim como a tábua de quatro queijos nacionais (R$ 50,00).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Bares variados

    Mandíbula

    Praça Dom José Gaspar, 106, centro

    Tel: (11) 3129 3556

    VejaSP
    2 avaliações

    Ao mesmo tempo, a Galeria Metrópole favorece e atrapalha o sucesso da casa. Por um lado, a localização inusitada atraiu o pessoal moderno, que não abandona o lugar; por outro, limitou o horário de entrada no bar (até a meia-noite), embora o fervo permaneça até mais tarde. O Mandíbula inclusive deixou de funcionar nas noites de sábado, porque o condomínio passou a fechar cedo nesse dia. A lista bebericável é simples, mas eficiente para turbinar a noite, com gim-tônica (R$ 20,00) e long neck de Heineken (R$ 10,00). Animada, a galera balança ao som de rock no pequeno espaço e, não raro, dá uma respirada nos corredores da galeria.

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais
  • Botecos

    Tiquim

    Rua Cayowaá, 1301, Perdizes

    Tel: (11) 3582 9743

    VejaSP
    1 avaliação

    Diminuto e de esquina, o boteco acolhe um pessoal desencanado de Perdizes, alguns de estilo quase riponga, além de moças gays, todos atrás de uma cervejinha. Aos cuidados da publicitária Fernanda Huerta e da chef Bianca Battesini, a casas e mostra não raro lotada. Frituras individuais figuram entre as boas pedidas. É o caso do rissole de queijo mussarela e cebola caramelada e do bolovo acrescido de queijo em massa de carne de panela (R$ 8,00 cada um). A caipirinha de limão cravo e uva é pedida obrigatória (R$ 18,50, com cachaça Coluninha).

    Preços checados em setembro/outubro de 2016.

    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO