Bares

Bar do Magrão dobra o número de rótulos de cerveja

Tradicional estabelecimento do Ipiranga chega a 140 opções, entre importadas e nacionais

Por: Fabio Wright

bar do magrão
O escurinho salão do pequeno boteco do Ipiranga: 140 marcas reunidas em seis freezers (Foto: Mario Rodrigues)

Estabelecido desde 1995 no Ipiranga, o Bar do Magrão está entre aqueles poucos botecos de bairro que justificam a visita de quem mora em outra região da cidade. Agora, há um motivo extra para voltar à casa. Entrou em vigor, dois meses atrás, uma nova carta de cervejas. Organizada por países, ela tem catorze páginas e uma pequena descrição de cada marca.

+ Guia das cervejas premium

+ A multiplicação das cervejas especiais

+ Saiba onde encontrar rótulos de inverno

A oferta dobrou: passou de setenta para 140 rótulos, armazenados em seis freezers, em temperaturas diferentes (alguns, sabiamente, não são servidos estupidamente gelados, para não mascarar aromas nem sabores). Não deixe de observar a amalucada decoração. Reúne um montão de objetos, como um boneco do personagem Chaves pendurado no teto e até uma vuvuzela, presente de uma cliente que esteve na última Copa do Mundo, na África do Sul.

Das tentações engarrafadas, sobressaem a Schneider Weisse TAP 7 (R$ 24,00), alemã de trigo um pouco diferente, de coloração âmbar, e a saborosa belga Hoegaarden Grand Cru (R$ 28,00).Também da Bélgica vem a Malheur 10, strong golden ale servida em taça flûte e com respeitáveis 10% de teor alcoólico.

Entre as nacionais, vale provar a amarguinha Velhas Virgens India Pale Ale (R$ 24,00), fabricada em Ribeirão Preto. Boas comidinhas fazem acompanhamento, a exemplo das almôndegas ao sugo (R$ 27,00; seis unidades) e da berinjela curtida no azeite e alho (R$ 12,00 a porção), ambas escoltadas por pão italiano fatiado. Outras dicas são o caldinho de abóbora polvilhado de pedacinhos de gorgonzola (R$ 21,00) e o escondidinho de bacalhau (R$ 30,00), coberto por purê de batata feito na hora. Se precisar de dicas etílicas na hora da escolha, troque uma ideia com o proprietário Luiz Antonio Sampaio, o Magrão. Uma figuraça.

BEBIDAS ✪✪✪ | AMBIENTE ✪✪✪ | COZINHA ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO