Especial

Barmen da cidade dão dicas para quem montar um acervo etílico em casa

Confira ainda a receita de drinques clássicos, como o dry martini, o kir royal e a brasileiríssima caipirinha

Por: Marcelo Cobra - Atualizado em

drinques guto nobrega
Drinques: boa pedida para impressionar seus convidados (Foto: Guto Nóbrega)

Montar um bar em casa não é tão difícil quanto pode parecer. O ideal, segundo especialistas na arte da coquetelaria, é ter um acervo variado de bebidas, em especial aquelas que podem servir como base para várias receitas. Para ajudá-los nas escolhas, VEJA SÃO PAULO convocou dois nomes que são referência no assunto: Spencer Jr. e Kascão Oliveira. Além das indicações alcoólicas, eles cederam receitas (e segredinhos especiais) para quem quer fazer bonito na hora de receber os convidados em casa.

Veja no especial abaixo:

Bebidas

- Bitter de angostura: extrato alcoólico de vegetais (utilizado em gotas).

- Espumante: o brasileiro Chandon.

- Gim: o britânica Tanqueray.

- Rum: o cubano Havana Club.

- Tequila: qualquer uma que tenha 100% de agave, como a El Jimador.

- Uísque: varia de acordo com o drinque. Duas garrafas interessantes para se ter em casa são as dos americanos Jack Daniel's e Jim Beam Black.

- Vermute: o argentino Carpano Punt e Mes ou o francês Noilly Prat.

- Vodca: a holandesa Ketel One.

Utensílios

- Coqueteleira da marca Boston

- Dosador

- Macerador

- Mixing glass

- Bailarina (colher típica de bar, indicada para mexer os drinques)

- Coador de gelo (também chamado de strainer)

- Peneira (como a utilizada para coar chás)

Dicas: todos esses utensílios e outros itens de cozinha podem ser encontrados nas lojas espalhadas pela Rua Paula Souza, na região central da cidade.

5 drinques essenciais

Caipirinha (receita do barman Spencer Jr., do MyNY Bar)

Corte um limão-taiti no meio e utilize 3/4 do fruto cortado em fatias com casca. O ideal é cortar o limão apenas no momento do preparo da bebida, para que não perca potência de sabor e acidez. Coloque as fatias num copo largo e adicione três colheres de bar de açúcar demerara (meio-termo entre o mascavo e o cristal). Macere levemente e acrescente 75 mililitros de uma boa cachaça branca, como a mineira Minha Deusa, dos mesmos produtores da Vale Verde. Acrescente bastante gelo picado, mas não encha todo o copo para conseguir misturar a bebida. Depois mexer, cubra com mais gelo.

Kascão - Dry martini
Dry martini e sua versão baby: clássico da coquetelaria (Foto: Mario Rodrigues)

Dry martini (receita do barman Kascão Oliveira)

Coloque duas doses de gim (de 50 mililitros cada uma) no mixing glass e encha-o de gelo. Adiciona três gotas de vermute e uma azeitona furada em três pontos (ainda não coloque o palito, que pode interferir no sabor da bebida. Com a utilização de um coador, transfira o líquido para uma taça de martíni bem gelada e espete a azeitona com o palito.

Manhattan (receita do barman Spencer Jr.)

No mixing glass, coloque 60 mililitros do uísque Jim Beam Black, 30 mililitros do vermute argentino Carpano Punt e Mes e três gotas de bitter de angostura. Encha o copo de gelo em cubos e misture bem. Com o auxílio de um coador, transfira o conteúdo para uma taça de coquetel previamente resfriada. Finalize com uma cereja encharcada em licor de marrasquino. 

Margarita - Hecho en Mexico - 2253
Margarita do Hecho en Mexico: servida em copo baixo (Foto: Fernando Moraes)

Margarita (receita do bar Hecho en Mexico, no Itaim)

Coloque em uma coqueteleira suco de meio limão espremido na hora, uma dose de 50 mililitros de tequila, 25 mililitros de Cointreau e gelo (mais ou menos oito pedras). Misture bem. Esfregue limão na borda de um copo largo e mergulhe-o em um prato raso com sal. Encha o copo com gelo e despeje ali o líquido da coqueteleira. Decore com uma rodela de limão.

Kir royal (receita do barman Kascão Oliveira)

Em uma taça de espumante, coloque 50 mililitros de creme de cassis e complete o recipiente com espumante. Para finalizar, adiciona uma cereja ao copo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO