Comportamento

Banheiro vira refúgio dentro das casas paulistanas

Pesquisa inédita mostra a surpreendente relação das pessoas com o cômodo

Por: Nana Caetano - Atualizado em

"Um espaço de onde se sai com a sensação de renovação", "um refúgio onde a privacidade é respeitada", "um ambiente para reflexões"... Pensou em um templo? Sala de aula? Spa? Nada disso. As frases acima referem-se ao banheiro – cômodo que pouco tempo atrás ficava relegado a um segundo plano dentro de casa. "Ultimamente, o banheiro virou um dos únicos lugares da residência onde as pessoas ficam realmente sozinhas", afirma o publicitário Rino Ferrari Filho, presidente da Rino Publicidade. A constatação de Ferrari tem fundamento. Ele coordenou um levantamento sobre o tema realizado por sua agência em parceria com o Club de Pesquisa, especializado em opinião e mercado. Foram consultados 300 paulistanos das classes A e B. Algumas constatações surpreendem. Para 82% dos entrevistados, o banheiro é o primeiro lugar em que pensam quando querem permanecer tranqüilos e relaxar. Claro, se ninguém estiver batendo na porta. E 86% acham que ter um bom chuveiro significa que a vida é generosa. Mas não dá para se esquecer totalmente das obrigações assim que se tranca a porta. Nada menos que 63% dos entrevistados usam o tempo no banheiro para ler, escrever ou falar ao telefone.

O banheiro está definitivamente na moda. "Ele é hoje o que o home theater foi há quatro anos. Todo mundo quer ter um maravilhoso", diz o arquiteto João Armentano. "Por causa da violência, as pessoas estão se fechando, valorizando mais a sua casa e, conseqüentemente, as suas áreas mais íntimas", acredita. "A casa deixou de ser uma vitrine e passou a ser usada em todos os espaços", afirma a também arquiteta Débora Aguiar. "As pessoas desejam banheiros arejados e com muito conforto." Entre os mimos que os dois utilizaram em seus projetos estão televisões de plasma, aparelhos de som e banheiras gigantes. "Já me pediram para colocar um computador com acesso à internet", lembra Armentano. "O cliente queria ficar conectado o tempo todo." Ah, e nada de um banheiro só para o casal. Na casa de gente chique e endinheirada, a suíte comporta o dele e o dela – do mesmo tamanho, ambos espaçosos. Mas não é necessário ter uma mansão de sonhos para garantir a privacidade. "Na minha casa, eu uso um banheiro e minha mulher, outro", conta o apresentador João Gordo, que mora em um apartamento de 156 metros quadrados no Sumaré. "O meu é cheio de pôsteres, cartazes de shows, adesivos, bonecos e revistinhas. É bom demais ler gibi no banheiro."

O banheiro e os homens

44% admitem que é um bom lugar para chorar

62% se esquecem dos problemas e dificuldades da vida quando cantam no chuveiro

68% o usam para descarregar as tensões

75% não gostariam de ter de dividi-lo com outras pessoas

O banheiro e as mulheres

59% aproveitam para ler, escrever ou falar ao telefone

86% se permitem ficar sem pressa e relaxar

90% acham que ter um bom chuveiro significa que a vida é generosa

95% acreditam que é o lugar onde a privacidade está mais garantida e não é preciso dar satisfação de nada

"A arquitetura vive de tendências. O banheiro é hoje o que o home theater foi há quatro anos. Todo mundo quer ter um maravilhoso."

João Armentano, arquiteto

"Na minha casa, eu uso um banheiro e minha mulher, outro. O meu é cheio de pôsteres, cartazes de shows, adesivos, bonecos e revistinhas."

João Gordo, apresentador

"Demoro horas no banheiro porque adoro ler ali, é um hábito muito antigo. Tenho jornais, revistas e livros. Acho tranqüilo, agradável, aconchegante..."

Roberto Lage, diretor do espetáculo Pente Fino, que se passa dentro de um banheiro

"Acho que essa coisa de cantar no chuveiro é para desafinados. Mas já estive em alguns banheiros, principalmente de casas antigas, que têm uma acústica incrível."

Luciana Mello, cantora

"Mesmo morando sozinha, o primeiro lugar a que vou quando entro em casa é o banheiro. Quase tudo fica lá: maquiagem, secador de cabelo, carregador de celular..."

Débora Aguiar, arquiteta

"Em casa, o banheiro faz parte do resto do ambiente. Deixo sempre a porta aberta, até quando minhas amigas estão comigo."

Mariana Weickert, modelo

Fonte: VEJA SÃO PAULO