carnaval

Bangalafumenga anuncia que não desfilará e motiva rumor de "pegadinha"

Bloco argumenta que foliões sujam demais as ruas, mas mensagem do fundador em grupo privado afirma que, sim, vai haver a festa

Por: Jussara Soares - Atualizado em

Bangalafumenga
Bangalafumenga: o primeiro bloco carioca a desembarcar em São Paulo (Foto: Reprodução/Facebook)

A página do bloco carnavalesco Bangalafumenga no Facebook anunciou, no domingo (1º), que o grupo não sairá às ruas de São Paulo no pré-Carnaval deste ano. O motivo seria a sujeira causada pelos foliões nesses eventos.

Em um trecho, a mensagem diz: "Essa decisão foi tomada depois de percebermos que, apesar da grande quantidade de banheiros disponibilizados pelas prefeituras das cidades durante o Carnaval nos últimos anos, o número de pessoas fazendo xixi nas ruas ainda era assustador. No final da festa, o que ficava para trás era simplesmente inaceitável. E o impacto disso para a comunidade vai muito além da sujeira que se acumula em postes, árvores, monumentos e demais locais públicos."

banga
Mensagem postada pelo bloco no Facebook (Foto: Reprodução/Facebook)

A informação causou furor na internet, com entusiastas do grupo decepcionados, e foi reproduzida por pessoas como a atriz Fernanda Paes Leme, que disse: "O Banga não vai mais desfilar e sem eles a festa não será a mesma. Gente que faz xixi na rua, viu o que vocês causaram? #DesfilaBanga"

Nos bastidores, ritmistas têm tratado a questão como uma espécie de "pegadinha" dos produtores, com intuito que poderia ser, por exemplo, chamar a atenção para a falta de higiene. Um dos motivos é uma mensagem deixada pelo perfil do fundador Rodrigo Maranhão no grupo fechado dos ritmistas no Facebook, Batuqueiros do Banga - São Paulo. Espalhada rapidamente no Whatsapp, ela diz o seguinte: "Alô bateria! Hoje no fim do dia vocês podem ouvir coisas relacionadas ao nosso desfile. Peço que confiem em mim. Vamos desfilar. Segunda tem trabalho normal".

banga2
Mensagem do perfil do fundador do bloco em grupo fechado do Facebook (Foto: Reprodução)

VEJA SÃO PAULO não conseguiu contato com Maranhão na noite de domingo. Membros da produtora que organiza o bloco não responderam as mensagens telefônicas e de texto deixadas pela reportagem. O empresário Cesar Pacci, da Oficina de Alegria, que organiza o desfile em São Paulo, desconversou ao telefone: "Ainda estou tentando entender o que está acontecendo e só poderei falar amanhã." Ele não comentou outros rumores, de que seria uma invasão à página do evento ou fruto de briga entre os sócios. 

Criada no Rio de Janeiro, a agremiação agendou seu desfile paulistano para o sábado (7), a partir das 11h, na Avenida Paulo VI, na altura da Rua Lisboa (Zona Oeste).

O "Banga", como é conhecido, surgiu em 1998 no Rio de Janeiro.  Desembarcou em São Paulo em 2011 com uma oficina de percussão.  O bloco, com 200 ritmistas, traz canções de seu líder Rodrigo Maranhão, além de músicas de Gilberto Gil, Lenine e Alceu Valença.

Vai desfilar ou não vai? Tudo ficará claro nos próximos capítulos.

+ Cobertura minuto a minuto: como foi o primeiro fim de semana de blocos de Carnaval

+ ÚLTIMAS NOTÍCIAS: o que acontece de mais importante na cidade

Fonte: VEJA SÃO PAULO