Música

Banda O Terno é a nova aposta da cena pop paulistana

Grupo lançou o álbum de estreia 66 em junho

Por: Pedro Henrique Araújo - Atualizado em

O Terno
Chaves, Peixe e Bernardes (à dir.): dois prêmios e agenda recheada (Foto: Fernando Moraes)

Um violão, um baixo acústico de 2 metros e uma bateria disputam espaço com o sofá e a mesa de centro na ampla sala de uma casa no Alto de Pinheiros. O ensaio começa por volta das 16 horas e não passa das 19 para não incomodar os vizinhos, uma rotina curiosa para o trio de músicos que figura como a revelação roqueira da temporada na cidade. Com idade média de 20 anos, os artistas treinam composições próprias e também versões de canções folk e blues antigos. Criam um som original com ar retrô, misturando influências como Mutantes e Milton Nascimento, da fase Clube da Esquina. Entre as marcas registradas estão arranjos e canções bem-humorados, com várias referências à metrópole, como é o caso de Modão de Pinheiros, um dos sucessos do repertório do conjunto.

+ Veja o clipe da música 66

Formada pelo guitarrista e vocalista Tim Bernardes, autor de grande parte das letras e melodias, pelo baixista Guilherme Peixe e pelo baterista Victor Chaves, a banda O Terno lançou em junho o álbum 66 — o clipe da música homônima havia estreado no mês anterior. De lá para cá, os rapazes vêm acumulando triunfos. Em setembro, receberam o Aposta MTV, troféu entregue no Video Music Brasil aos artistas de futuro promissor. Já o vídeo registrou mais de 130.000 visualizações no YouTube em um período de cinco meses e faturou o posto de melhor do ano no Prêmio Multishow.

O Terno
Cena do clipe 66: mais de 130.000 acessos ao vídeo no YouTube (Foto: Divulgação)

O clipe ajudou muito no sucesso. “Ele abriu mais portas que o próprio álbum”, diz Peixe, que contracenou com os colegas no fundo da piscina do Pacaembu. A gravação custou cerca de 3.000 reais e as cenas subaquáticas só foram possíveis porque os diretores Marco Lafer e Gustavo Moraes convenceram a administração do estádio de que se tratava de uma produção universitária. Na cerimônia do Multishow, realizada no mês passado no Rio de Janeiro, a banda se apresentou ao lado dos ex-titãs Arnaldo Antunes e Nando Reis. “Eu os conheci por meio dos meus filhos”, conta Reis. Um dos padrinhos do trio é o músico e compositor Mauricio Pereira, pai de Tim Bernardes e integrante de grupos como Os Mulheres Negras, dos anos 80. Além de ser um grande incentivador dos rapazes, ele costuma fazer algumas participações especiais nas apresentações. Sua próxima canja está prevista para o show de O Terno, no dia 20, no Sesc Santana.

VITÓRIAS RECENTES

Algumas façanhas da banda em seis anos de estrada

- Mais de 130.000 acessos ao vídeo no YouTube do clipe da música 66, lançado em maio

- Troféu de Clipe do Ano no Prêmio Multishow, em setembro

- Ganhadora do Aposta VMB, prêmio da MTV para novos talentos no Video Music Brasil, também no mês passado

Fonte: VEJA SÃO PAULO