Baladas

Pistas de dança são animadas aos ritmos dos Balcãs e da Andaluzia

Os novos embalos de sábado à noite agora incluem músicas ciganas

Por: Ricky Hiraoka - Atualizado em

_MG_5863
A Venga Venga: performancede bailarinas (Foto: Divulgação)

Se algum desavisado tiver tomado umas doses a mais e começar a escutar vozes búlgaras saindo das caixas de som no meio de uma noitada, não precisa ficar desesperado achando que entrou em algum delírio etílico. Os novos embalos de sábado à noite incluem ritmos ciganos clássicos e contemporâneos vindos de países dos Balcãs e da região da Andaluzia, na Espanha. Para completar o pacote, bailarinas vestidas a caráter e decoração especial ajudam a criar aquele clima gitano — meio paraguaio, é verdade, mas para lá de divertido. Festas temáticas como Gas Gas, Venga Venga e Barrados no Balkan atraem centenas de convertidos a cada edição (veja no quadro a programação para as próximas semanas). “Todos andam cansados de ouvir sertanejo e o pop americano”, entende Denny Azevedo, idealizador da Venga Venga. O evento ocorre uma vez por mês dentro de uma tenda armada no centro cultural Mundo Pensante, no Bixiga. Os DJs pintam o rosto e usam roupas coloridas e esvoaçantes.

+ Roteiro completo de baladas na capital

Um dos fatores que ajudaram a impulsionar a onda foi o bom desempenho da banda Gogol Bordello nos palcos daqui. Responsável por uma louca fusão de punk e ritmos ciganos, o grupo já esteve na metrópole cinco vezes nos últimos seis anos. Na visita mais recente, no ano passado, tocou para cerca de 4 000 pessoas no HSBC. A mania rendeu até um bloco no último Carnaval, o Ciga-Nos, que reuniu aproximadamente 3 000 foliões na Praça Roosevelt, em 16 de fevereiro.

A pioneira na pegada gitana foi a Gas Gas, encontro trimestral itinerante que ocorre na capital desde 2012. “Quando começamos, não haviamuito espaço para esse tipo de música”, lembra a produtora de cinema Lita Almeida. Atualmente, as três noitadas contabilizam cerca de 250 pessoas emcada festa. Além disso, inspiram programações como a da Caravana Cigana, evento animado por bandas como a Orkestra Bandida. “Éramos um grupo de estudos de música oriental e, há um ano, passamos a fazer shows”, conta Mario Aphonso III, que toca instrumentos de sopro. O combo está escalado parao Festival de Música e Danças dos Balcãs, entre os dias 23 abril e 7 de maio, no Sesc Pompeia.

Na trilha nômade

As próximas festas do circuito gitano na capital

Venga Venga

Data: 21/3

Local: Mundo Pensante, Bela Vista

Preço: R$ 25,00

 

Barrados no Balkan

Data: 28/3

Local: Espaço Cultural Puxadinho da Praça, Vila Madalena

Preço: R$ 20,00

 

Caravana Cigana

Data: 11/4

Local: Centro Cultural Rio Verde, Vila Madalena

Preço: R$ 30,00

Fonte: VEJA SÃO PAULO