Criminalidade

Quatro bairros de São Paulo não registraram homicídios em 2015

Estatísticas foram divulgadas nesta terça-feira (26); Regiões com menos mortes estão na Zona Oeste e Zona Leste

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Oscar Freire
Rua Oscar Freire, nos Jardins: um caso de latrocínio em 2015 (Foto: Fernando Moraes)

Estatísticas criminais de São Paulo divulgadas nesta terça-feira (26) pela Secretaria da Segurança Pública mostram que o ano de 2015 teve a maior queda na taxa de homicídio doloso (quando há intenção de matar) desde 2001. Os quatro bairros que registraram menos mortes na cidade foram Jardins, na Zona Oeste, Vila Diva, Vila Formosa e Parque São Jorge, os três na Zona Leste. Juntos, registraram apenas dois casos de latrocínio (roubo seguido de morte) no ano passado. 

+ Estado registra menor taxa de homicídios em 14 anos

A relação de mortes intencionais por 100 000 habitantes do Estado foi de 8,73 em 2015, taxa 13,22% inferior à registrada no ano anterior (de 10,06 homicídios por 100 000). Se comparado ao primeiro ano da série histórica, 2001, o ano passado teve uma redução de 73,78% na taxa, informou a Secretaria da Segurança.

+ Bolsonaro leva "banho de purpurina" em protesto

A Vila Formosa e o Parque São Jorge, na Zona Leste, não tiveram nenhum latrocínio ou homicídio ao longo de 2015. Também sem homicídios registrados, os Jardins e a Vila Diva tiveram, cada um, um caso de latrocínio apenas. 

+ Trio é baleado após fugir e provocar acidente em frente a Congonhas

Se o recorte de tempo for de 2011 até agora, os Jardins contabilizaram seis homicídios e três latrocínios nos últimos cinco anos. Para se ter uma ideia, apenas em 2015 o Capão Redondo, no extremo sul da cidade, registrou 70 casos de homicídios e seis de latrocínio. 

+ Fiocruz apura se zika pode ser transmitido por pernilongo

Na capital, foram registrados 991 casos com 1 057 vítimas no total. O ano passado teve 1 132 casos com 1198 vítimas. Entre os distritos analisados, seis ficaram na frente. São eles: Parelheiros, Campo Limpo, Capão Redondo, Parque Santo Antônio, Jardim Herculano, na Zona Sul, e na Zona Norte, Jaçanã. Entre eles, dois tiveram aumento no número de casos de homicídio doloso (Capão Redondo e Parque Santo Antônio) e os outros quatro registraram queda (Parelheiros, Campo Limpo, Jaçanã e Jardim Herculano). 

Confira os dados:

1° lugar - Capão Redondo

Em 2015,  foram registrados 70 casos de homicídio doloso com 72 vítimas. Seis casos de latrocínio (roubo seguido de morte) com 7 vítimas e 68 estupros. Em 2014, foram 44 casos de homicídios dolosos com 49 vítimas. Quatro casos de latrocínio com o mesmo número de mortes e 86 estupros.

2° lugar – Parque Santo Antônio

Os índices também aumentaram no distrito: 42 casos de homicídio com 56 vítimas em 2015 e 34 casos de homicídio com 37 vítimas no ano anterior. Em 2015, foram registrados um caso de latrocínio com uma vítima e quarenta estupros. Em 2014, quatro casos de latrocínio com quatro mortes e 54 casos de estupro.

3° lugar – Parelheiros  

No ano passado, foram registrados quarenta casos de homicídio doloso, com 45 mortes. Nenhum caso de latrocínio e trinta estupros. Em 2014, foram 41 casos de homicídio doloso com 47 mortes, três casos de latrocínio com quatro vítimas e 52 estupros. 

4° lugar - Campo Limpo  

Foram registrados 43 casos de homicídio doloso, com 44 vítimas e três casos de latrocínio com três mortes e 49 estupros. Em 2014, foram 51 casos de homicídio com 52 mortes. Três casos de latrocínio com três vítimas e 59 estupros.  

5° lugar – Jaçanã

Em 2015, aconteceram 31 casos de homicídio doloso com 35 mortes e um caso de latrocínio com uma morte e 43 estupros. Em 2014, foram 39 casos de homicídio, com 41 vítimas. Três casos de latrocínio com três mortes e 53 estupros.

6° lugar – Jardim Herculano

Foram registrados 32 casos de homicídio doloso com 33 mortes. Dois casos de latrocínio com duas mortes e 54 estupros. Em 2014, foram 40 casos de homicídio com 41 mortes. Nenhum caso de latrocínio e 37 estupros. 

+ Confira as últimas notícias 

Fonte: VEJA SÃO PAULO