Dança

Bailarinos da São Paulo Companhia de Dança estreiam na capital

Companhia estadual recém-criada faz sua primeira apresentação na cidade

Por: Giovana Romani - Atualizado em

Treze dias antes de sua estréia na capital, na quinta (4), no Teatro Sérgio Cardoso, 35 bailarinos da São Paulo Companhia de Dança trabalham para que cada movimento da coreografia Polígono, do italiano Alessio Silvestrin, saia perfeito. Ao mesmo tempo, quatro integrantes – uma paulista, um paraense, um alemão e um argentino – ensaiam outros passos criados para a Oferenda Musical, de Bach. O quarteto é o retrato da companhia, que garimpou nas cinco regiões brasileiras e no exterior os dançarinos do primeiro grupo mantido pelo governo do estado. "Buscamos talentos de vários lugares, com diversas alturas e cores", diz Iracity Cardoso, diretora artística do balé.

Em fevereiro deste ano, 815 candidatos participaram das audições. Dois meses depois, os 39 selecionados iniciaram a rotina de aulas práticas, teóricas e ensaios na sede provisória do grupo, no Bom Retiro. "Essa é minha primeira oportunidade profissional", conta Alexandre Cardoso, de 20 anos, que nasceu em Belém e estudou no renomado Bolshoi, em Joinville. Enquanto alguns deles fazem seus primeiros courus (pequenos passos na ponta dos pés), outros já deram grandes saltos. Caso de Priscilla Yokoi, 24, que tem no currículo seis prêmios internacionais e passagens por companhias dos Estados Unidos e do Chile.

"O plano é que a São Paulo Companhia de Dança se torne parâmetro nacional e internacional no balé clássico, assim como ocorre com a Osesp na música erudita", afirma Ronaldo Bianchi, secretário adjunto estadual de Cultura. Não à toa, a companhia foi apelidada de "Osesp das sapatilhas". Em 2011, o grupo deve ganhar um teatro próprio, na região da Luz. "Enquanto não fica pronto, nós nos apresentaremos em grandes espaços, como os teatros Sérgio Cardoso, Alfa e Municipal", conta Iracity.

• São Paulo Companhia de Dança. Teatro Sérgio Cardoso. Rua Rui Barbosa, 153, Bela Vista, 3288-0136. Quinta (4) a sábado (6), 21h; e domingo (7), 19h. R$ 20,00.

Fonte: VEJA SÃO PAULO