Perfil

Paulistano ensina alunos de 5 a 70 anos a andar de bicicleta

Arturo Alcorta calcula ter sido instrutor de 200 ciclistas principiantes

Por: Carolina Giovanelli

Barbara Elsbach - Arturo Alcorta - Bicicleta - 2208
Barbara e o professor Arturo, em Pinheiros: educar sem tombos é o seu lema (Foto: Fernando Moraes)

A aposentada Barbara Elsbach tinha uma frustração. Apesar dos esforços, não havia aprendido a andar de bicicleta. Amigos e parentes se empenhavam em tentar ensiná-la. Sem sucesso. “Quando subia no banco, ficava nervosa e travava completamente”, conta. Após parar de trabalhar como gerente de eventos, em 2009, resolveu aproveitar o tempo livre para fazer aulas de ciclismo. Contratou um professor para domar sua magrela sem medo. Hoje, aos 65 anos, a senhora de cabelos brancos pedala orgulhosa por parques e ruas tranquilas sempre que tem uma oportunidade.

O autor da proeza foi o paulistano Arturo Alcorta, que se dedica há sete anos ao ofício de mostrar o bê-á-bá das bikes a pessoas de todas as idades. “Ensinar, para mim, é uma terapia”, diz ele, que calcula ter sido instrutor de 200 ciclistas principiantes, entre 5 e 70 anos. Formado em artes plásticas e com licenciatura em educação, Alcorta usa as técnicas estudadas para livrar seus pupilos da tensão.

O processo começa sempre com uma conversa. “Às vezes, as pessoas têm medo de se soltar por causa de uma questão mal resolvida na infância”, explica. “Elas já chegam derrotadas. Por isso, preciso trabalhar também com a parte psicológica.” Em seguida, o aluno deve conhecer melhor a bicicleta e fazer testes de equilíbrio. Vale tudo para deixá-lo mais relaxado, desde bate-papos amenos até músicas.

Alcorta acredita que o mais importante é respeitar o tempo de cada um. Garante que a maioria já sai pedalando no primeiro ou segundo encontro, realizado quase sempre em alguma rua com pouco movimento próximo à Praça Panamericana, no bairro de Pinheiros. Paisagem agradável, asfalto de boa qualidade em um plano levemente inclinado e bike que permita ao iniciante encostar os pés no chão são ferramentas fundamentais para o sucesso da empreitada.

Cada aula custa 100 reais e dura cerca de uma hora. “Ele foi muito persistente conosco”, afirma o engenheiro Sérgio Akito, de 43 anos, que participou de seis sessões de aprendizado junto de sua mulher, a cabeleireira Aparecida Emiko, de 49 anos.

Alcorta é defensor ferrenho da bicicleta como meio de transporte há quase trinta anos. Ex-bike-repórter da Rádio Eldorado — atividade que traz ao ciclista a responsabilidade de circular pela cidade para colaborar com informações, sobretudo, sobre o trânsito —, o professor de 55 anos atualmente dá consultoria a governos e empresas sobre o assunto. Também integra a equipe de seis ativistas do site Escola de Bicicleta, que reúne dicas sobre como pedalar de maneira segura. Em seu curso para iniciantes, Alcorta se guia por um lema: educar sem tombos. “Não me lembro de nenhuma queda durante as minhas aulas.”

Fonte: VEJA SÃO PAULO