Espaços menores

Primeiro lugar: Auditório Ibirapuera

Local é uma joia no parque

Por: Carolina Giovanelli e Pedro Ivo Dubra

Auditório Ibirapuera - 2210
Auditório Ibirapuera: última joia arquitetônica de Niemeyer no parque (Foto: Raul Zito)

Observado de perfil, o prédio lembra o triângulo reto das aulas de matemática. Projetado por Oscar Niemeyer nos anos 50, só começou a ser construído em fevereiro de 2003 (a primeira apresentação ocorreu em outubro de 2005). Trata-se, portanto, da última joia arquitetônica a chegar ao Parque do Ibirapuera, já ocupado pela Oca, pelo Museu de Arte Moderna (MAM) e pela Bienal. Novato na vizinhança, deixa sua marca pela boa programação, quase sempre a ingressos de acessíveis 30 reais.

+ As melhores casas de show de São Paulo

As duas últimas aparições de João Gilberto na cidade, bem como as noites de jazz do extinto Tim Festival, em 2008, ficaram na memória — em junho, Monique Gardenberg, produtora do Tim, levará à sala o novo BMW Jazz Festival.

O edifício ganhou o júri consultado nas categorias conforto, ar condicionado e visibilidade. A prova do acerto no último quesito está na foto acima. Ela mostra a visão de um espectador no fundo da plateia de 800 lugares. Mesmo lá, deu para observar bem os argentinos da Orquesta Típica Fernández Fierro mandando ver no seu tango nervoso no último dia 12. Como se não bastasse, o auditório também oferece shows ao ar livre para 15.000 pessoas. O mecanismo é simples: abre-se a parte posterior do palco e o artista vira o seu espetáculo para o lado do parque.

Fonte: VEJA SÃO PAULO