Cinema

Cinco atores com mais de 60 anos que estão em cartaz

Morgan Freeman, Bill Nighy, Ian McKellen, Stellan Skarsgard e Geoffrey Rush seguem firmes nas telas

Por: Redação VEJA SÃO PAULO

Última Viagem a Vegas 2359
Cena de "Última Viagem a Vegas" (Foto: Divulgação)

✪✪ Última Viagem a Vegas: Morgan Freeman, de 76 anos, Michael Douglas, 69, Robert De Niro, 70, e Kevin Kline, 66, se divertem nesta comédia ambientada na cidade dos cassinos. Eles interpretam amigos do passado que se reencontram para uma despedida de solteiro. A fita permanece no Cidade Jardim 5.

Questão de Tempo 2359
Cena de "Questão de Tempo" (Foto: Divulgação)

✪✪✪ Questão de Tempo: Bill Nighy, inglês de 64 anos, possui uma carreira versátil, que inclui desde filmões como Piratas do Caribe até este simpático romance fantasioso. O ator vive o pai do protagonista, cujos membros da família têm o dom de voltar no tempo. Em cartaz só no Bristol 5.

Hobbit - A desolação de Smaug 2359
Cena de "O Hobbit - A Desolação de Smaug" (Foto: Divulgação)

✪✪✪ O Hobbit — A Desolação de Smaug: Outro inglês classudo, Ian McKellen tem 74 anos e ficou marcado no cinema por dois papéis. Na cinessérie X-Men encarnou o vilão Magneto, e em O Senhor dos Anéis deu vida a Gandalf, o mesmo personagem desta aventura épica, que continua no Anália Franco 3.

Ninfomaníaca - Volume 1 2359
Cena de "Ninfomaníaca - Volume 1" (Foto: Divulgação)

✪✪✪ Ninfomaníaca — Volume 1: Sueco de 62 anos, Stellan Skarsgard se divide entre filmes americanos e europeus. Neste drama, sucesso em doze cinemas, está sob a direção do dinamarquês Lars von Trier e faz o confidente da personagem viciada em sexo, papel de Charlotte Gainsbourg.

A Menina que Roubava Livros 2359
Cena de "A Menina que Roubava Livros" (Foto: Divulgação)

A Menina que Roubava Livros: Geoffrey Rush, o australiano de 62 anos que ganhou o Oscar por Shine (1996), atua neste drama de guerra como o pai adotivo da pequena protagonista. Em cópias dubladas e legendadas, o longa-metragem, inspirado no best-seller homônimo, estreou em 31 salas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO