Exposição

Nelson Basker, o Leandro de 'Viver a Vida', mostra seu lado pintor

Após se dividir entre as gravações de 'Viver a Vida' e a dedicação à pintura, ator expõem suas telas, na mostra 'Enquanto Vivi a Vida'

Por: Dirceu Alves Jr. - Atualizado em

Aberta a Mostra  ‘Vivi a Vida’ do ator e pintor Nelson Basker Foto 2
Baskerville: desenhos com carvão, aquarela e tinta acrílica (Foto: Dirceu Alves Jr.)

Nos últimos nove meses, o ator paulista Nelson Baskerville, de 48 anos, deixou seu apartamento no bairro da Aclimação para morar no 14º andar de um prédio em frente ao mar da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A vista paradisíaca patrocinada pela Rede Globo enquanto gravava a novela 'Viver a Viva', como o personagem Leandro, pai dos gêmeos interpretados por Mateus Solano, já garantiria um passatempo nas horas de folga. Baskerville, porém, adotou uma ocupação mais rentável que pegar praia ou circular pelo calçadão. Deu vazão à faceta de artista plástico e improvisou um ateliê no flat, onde trabalhava depois de cumprir a agenda televisiva. O resultado pode ser conferido a partir de quarta (19) na Livraria e Galeria Pop (Rua Doutor Virgílio de Carvalho Pinto, 297, Pinheiros, tel. 3081-7865). Na exposição Enquanto Vivi a Vida, sua primeira individual, estarão disponíveis doze trabalhos, cujos valores serão, em média, de 4 000 reais.

Apesar de o título da mostra remeter ao da trama global, não espere ver nas paredes da galeria pinturas com o rosto de Taís Araújo, José Mayer ou Lília Cabral. “Eu nem sei fazer retratos”, confessa ele, que buscou inspiração, sim, em bate-papos com os colegas de elenco. A temática é a mesma que o levou a se interessar pelos pincéis e esboçar os primeiros trabalhos, há uma década: as diferentes interpretações possibilitadas por textos teatrais. “Pinto com o conceito de arte que aprendi no palco, fugindo de uma leitura imediata”, teoriza o ator, que, em três décadas, fez 45 peças, dirigiu outras vinte e jamais estudou artes plásticas.

Desenhos com carvão, aquarela e tinta acrílica mostram personagens com cores variadas e mensagens inusitadas na série que chega aos olhos do público. A preocupação visual é imediata também na preparação de um espetáculo. Sua mais recente direção, 'Porque a Criança Cozinha na Polenta' é um exemplo.

De volta à cidade, o ator engata uma nova peça, 'Blackbird', dirigida por Alexandre Tenório, e deve retomar as aulas como professor do Célia Helena Teatro-Escola. As artes visuais ressurgem nas fases em que Baskerville precisa ocupar a mente e está pouco envolvido com o palco. Como essa não deve ser a rotina dos próximos meses, a exposição é uma chance rara de conhecer a diversidade desse artista.

Fonte: VEJA SÃO PAULO