Crianças

Atchim & Espirro estão de volta e lançam DVD

Em entrevista, a dupla de palhaços fala sobre o sucesso nos anos 80 e o retorno aos palcos

Por: Bruna Ribeiro - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Muita coisa mudou na infância dos anos 80 para cá, quando Atchim & Espirro faziam muito sucesso. As brincadeiras virtuais deixaram pouco espaço para outros tipos de diversão. O que não mudou é a graça que as crianças veem no humor natural do palhaço. Ao menos essa é a opinião da dupla, que marcou gerações e no auge da carreira fazia aparições no programa da Xuxa.

Após 23 anos separados, eles estão de volta e lançam o DVD A Turma da Casa de Chocolate em lojas especializadas. A programação de shows em 2013 ainda não está definida, mas promete agitar a criançada. Abaixo, a dupla explica como um vídeo de rap alavancou o grande retorno:

VEJASAOPAULO.COM - Como surgiu a ideia de fazer o DVD para anunciar o retorno de Atchim & Espirro?

ATCHIM & ESPIRRO - Nós fomos convidados por uma agência de publicidade a gravar um comercial. A propaganda anunciava o retorno da dupla, mas não era esperado tanto sucesso. Eles tinham uma meta de 2 milhões de acessos, de maio a setembro de 2012. Em uma semana, já tínhamos 5 milhões. Agora estamos chegando aos 7 milhões. Mas na verdade, mesmo antes desse convite, a gente já pensava em voltar, mas decidimos que faríamos isso apenas se houvesse algo muito legal para somar e voltar para valer. Aí surgiu o DVD.

Como é o DVD?

É uma coisa bem para criança. É diferente do comercial, que foi um rap para chamar atenção mesmo. É o nosso primeiro DVD e ele traz doze músicas, sendo três sucessos antigos – Circo da Alegria, King Kong e seu King Konguinho e A Orquestra dos Bichos – e um pout pourri em homenagem à Xuxa, ao Trem da Alegria e ao Balão Mágico. As demais são músicas inéditas.

Do que mais gostam neste novo trabalho?

O que a gente está achando legal são as coreografias. E criamos alguns personagens, como o Brigadeiro Tobias, a sorvete Maria Casquinha e a Miss Cupcake. É legal passar essa mensagem ingênua às crianças. É importante que consigamos atingir o público dessa geração com o mesmo intuito que tínhamos nos anos 80, o da ingenuidade.

As crianças mudaram muito? As brincadeiras que vocês fazem hoje são as mesmas de antes?

É a mesma coisa, porque embora a criança tenha mais opções hoje, com internet e games, ela ainda acha graça do humor natural do palhaço. Então elas curtem da mesma maneira. A grande diferença é que hoje as coisas são muito mais rápidas.

Além disso, sentimos uma carência muito grande da garotada de ter uma aproximação com o personagem. Nos anos 80, eram vários artistas, como Serginho Mallandro, Balão Mágico e Trem da Alegria. Hoje em dia, tudo o que elas veem é virtual. Por isso, a receptividade é sempre boa.

Acham que os adultos de hoje, que eram seus fãs, vão acompanhar essa volta?

Os pais também estão muito animados com a volta, de poder mostrar aos filhos os personagens da infância deles. Quem curtia e era fã, está feliz. A cada programa que fazemos, aparecem adultos pedindo para tirar foto.

O que fizeram nesse período em que ficaram separados?

O Espirro continuou fazendo shows, em shoppings e oficinas pedagógicas. Depois, criou espaços para crianças em centros de compras. Eu [Atchim], trabalhei uma época sozinho como palhaço e, enfim, montei uma produtora de eventos. Já não pintava o rosto há oito anos. Tinha pendurado o sapatão.

Fonte: VEJA SÃO PAULO