Cidade

Associação de moradores dos Jardins traz melhorias para o bairro

Empresários, políticos e personalidades residentes no bairro engrossam o coro de "fiscais" que pedem mudanças e reformas nas ruas do bairro

Por: Giovana Romani - Atualizado em

ame_jardins_2147
Arbaitman, Maradei e Doria: em busca de novas adesões (Foto: Fernando Moraes)

Proprietário de uma mansão no Jardim Europa, o empresário João Doria Jr. tem uma agenda para lá de apertada. Além de conciliar o comando de seus negócios com a carreira na televisão — ele será o novo apresentador de Aprendiz Universitário, da Record —, acumula o cargo de vice-presidente da Associação Ame Jardins. Faz isso voluntariamente, assim como o também empresário Marcos Arbaitman, presidente da entidade. Criada em 2005 como um movimento de moradores, a Ame Jardins tornou-se uma associação dois anos depois. O comitê gestor, formado por gente poderosa e de rotina atribulada, virava-se como podia para reunir-se em busca de melhorias para a região. Por isso, em abril passado, foi criada a figura do diretor executivo. Trata-se de um profissional contratado para se dedicar exclusivamente às necessidades da associação. Por indicação do ex-secretário municipal Andrea Matarazzo, que também mora por ali, chegou-se ao nome do advogado João Maradei Jr. Ele tem em seu currículo passagens pela Subprefeitura de Pinheiros e pela Secretaria das Subprefeituras. “Meu bom relacionamento com funcionários de órgãos públicos ajuda no trabalho da Ame Jardins”, afirma Maradei, que mora em Santana, na Zona Norte.

Na prefeitura, antes de assumir a diretoria executiva da associação, ele era o gerente da Avenida Paulista, uma espécie de xerife com a função de zelar pela conservação do cartão-postal da cidade. “Agora sou um intermediador”, diz. “Não temos como resolver os problemas sozinhos, mas podemos detectá-los e cobrar soluções.” Algumas vezes essa cobrança é, literalmente, barulhenta. Em 11 de dezembro, uma manifestação em frente ao Consulado do México, na Rua Holanda, no Jardim Europa, reuniu cinco mariachis vestidos a caráter. Segundo os vizinhos, a grande fila de pessoas em busca de visto formada na calçada atrapalha a circulação, causa barulho excessivo, atrai ambulantes e espalha lixo pela via. “Queremos que o consulado mude de endereço”, afirma Doria. “O local não tem estrutura para receber os usuários.”

Como a entidade atua em quatro bairros — Jardim Paulista, Jardim Paulistano, Jardim América e Jardim Europa —, a colaboração de quem mora, trabalha ou transita por ali é fundamental. Um buraco na rua ou uma construção irregular podem ser fotografados e enviados por e-mail à Ame Jardins (amejardins@amejardins.com. br). No escritório, localizado em um prédio comercial da Avenida Faria Lima, Maradei analisa os problemas e encaminha ofícios aos departamentos competentes. No ano passado, cerca de quarenta buracos foram tapados e dez árvores podadas. Prioridade da associação, a segurança pública precisou de medidas urgentes depois de quatro roubos a residências no mês de agosto. Após reuniões com comandantes da Polícia Militar, a ronda com motos intensificou-se nas ruas do bairro. Uma base da PM também foi reinstalada nas esquinas das avenidas Faria Lima e Cidade Jardim. “De lá para cá não tive mos mais esse tipo de ocorrência”, conta Maradei. Outro foco deste ano será a preservação das áreas verdes. Em parceria com a Eletropaulo, a Ame Jardins vai patrocinar um estudo para conferir a saúde das 2 200 árvores da região. Muitas delas têm seus galhos embaraçados na fiação elétrica, o que pode comprometer o fornecimento de energia em dias de chuva intensa. O passo seguinte será firmar um acordo com a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente para resolver os problemas detectados. Na última terça, Maradei se reuniu com o secretário Eduardo Jorge para discutir a questão. O bom trânsito dos diretores entre políticos e empresários contribui para os resultados obtidos. Em agosto, por exemplo, eles receberam o prefeito Gilberto Kassab no auditório do MuBE. Desde então, Kassab é um dos 220 associados, que pagam 150 reais de mensalidade. Para a diretoria, esse número pode aumentar. “Temos cerca de 2 700 casas por aqui”, diz o presidente Marcos Arbaitman. “Quanto mais pessoas se juntarem, mais poderemos fazer.”

 

 

Fernando Moraes
consulado_mexico_web
(Foto: Fernando Moraes)
Fila na entrada do Consulado do México,na Rua Holanda: o movimento incomoda a vizinhança

 

ALGUMAS DAS AÇÕES DE 2009

■ Depois de quatro roubos a residências em agosto, uma base móvel da Polícia Militar foi reinstalada na esquina das avenidas Brigadeiro Faria Lima e Cidade Jardim. As ruas ganharam reforço do patrulhamento com motos da PM, que ainda envia semanalmente à AmeJardins relatórios sobre suas atividades na região.

■ Cerca de quarenta buracos foram tapados e dez árvores podadas por solicitação da entidade. Também houve a remoção de lixo de quatro pontos críticos e a limpeza de três praças.

■ Cinco concessionárias irregulares deixaram a Rua Colômbia e a Avenida Europa no segundo semestre. Mais seis estão com processo de fiscalização em andamento.

■ A associação encaminhou ao Ministério Público quatro endereços de construções irregulares. Outras três obras já foram embargadas.

■ Dois imóveis que sediaram eventos na área residencial foram multados.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO