CRIMINALIDADE

Bando assalta shopping do Grupo Silvio Santos no Guarujá

Quadrilha invadiu o local, na Praia de Pernambuco, e explodiu três caixas eletrônicos

Por: Estadão Conteúdo

Shopping Jequiti
Caixas eletrônicos destruídos: Shopping do Grupo Silvio Santos foi alvo de criminosos (Foto: Rogério Soares/A Tribuna de Santos/Folhapress)

Uma quadrilha com quinze pessoas explodiu três caixas eletrônicos no Shopping Jequiti, do grupo Silvio Santos, no Guarujá (litoral de São Paulo), na madrugada de quarta (29). Para invadir o local, os criminosos usaram ferramenta hidráulica e estouraram a porta de entrada do shopping, localizado na Praia de Pernambuco, um dos pontos mais badalados da cidade praiana. Algumas lojas também teriam sido saqueadas.

+ Edir Macedo recebe Silvio Santos no Templo de Salomão

Durante a fuga, o bando bloqueou a rodovia que liga o Guarujá a Bertioga usando um caminhão. Na sequência, os criminosos atearam fogo a um ônibus que estava parado na rua. Ninguém ficou ferido.

Dois automóveis supostamente usados pelo bando foram encontrados em locais próximos. No interior de um deles, foram achados objetos roubados da agência e, possivelmente, de lojas do shopping.

+ Silvio Santos contrata consultoria para tratar de sucessão familiar

O valor levado dos caixas e da agência não foi informado. A Polícia Militar prendeu dois homens suspeitos de terem participado do incêndio ao ônibus. Também foi identificado um possível integrantes do bando.

Queda

O secretário estadual da Segurança Pública, Alexandre Moraes, disse, na noite desta terça (28), em Sorocaba, no interior de São Paulo, que o número desse tipo de ocorrência vem caindo no estado. "Quando em todo o Brasil o furto de caixas eletrônicos com explosivos vem aumentando, nós reduzimos no semestre 36% e nos últimos dois meses, 65% de explosões em todo o estado", declarou.

+ Menino Tancrède passa bem após transplante

 Segundo o secretário, o Exército vem auxiliando a polícia com maior rigor nas inspeções do comércio de explosivos. "Também estamos fazendo um trabalho conjunto com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban ), que nos cedeu o georreferenciamento de todos os caixas localizados em locais vulneráveis. Com isso pudemos fazer um trabalho de prevenção."

Ainda segundo Alexandre de Moraes, duas grandes quadrilhas de furtos de caixas eletrônicos foram presas, uma que já havia furtado 21 caixas eletrônicos em São Paulo e outra que fez dezessete roubos no estado e em Minas Gerais.

Fonte: VEJA SÃO PAULO