Bebidas

Conheça as novas caras do vinho

Jovens sommelières são a prova de que a profissão está deixando cada vez mais de ser um reduto masculino

Por: Nathalia Zaccaro - Atualizado em

Sommelières 2224 - Helena Mattar
Helena Mattar: sommelière do restaurante Vito (Foto: Fernando Moraes)
Muitos dos clientes do restaurante italiano Vito, na Vila Beatriz, são surpreendidos quando pedem a ajuda do profissional da casa para escolher um dos oitenta rótulos da carta de vinhos. Nessas ocasiões, quem surge diante deles é Helena Mattar, de 25 anos, sommelière do estabelecimento desde setembro do ano passado. Com charme e desenvoltura, ela orienta os frequentadores sobre as melhores opções de preços, rótulos e harmonizações. Seu conhecimento foi adquirido numa temporada na França em 2009, quando frequentou por nove meses a escola Le Cordon Bleu, em Paris. Publicitária formada pela Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), nunca havia pensado, até então, em seguir uma carreira em outra área. “Na Europa, porém, acabei me apaixonando pelo universo dessa bebida e resolvi mudar de profissão”, conta. Sua rotina atual, de nove horas diárias de trabalho, inclui fazer negociações de compras com as importadoras e controlar o estoque. Folgas, só aos domingos. “Quase não tenho vida social, mas vale a pena”, afirma. + Consulte o sommelier antes de escolher o vinho + Guia do vinho: confira dicas de cursos, acessórios e rótulos+ Cinco sugestões de vinho para beber em taça Helena faz parte de uma nova safra de profissionais que estão brilhando numa área que, até dez anos atrás, era uma espécie de reduto masculino. Segundo a Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-São Paulo), as mulheres preenchem hoje quase 40% dos postos em São Paulo. Esse avanço está diretamente relacionado à quantidade de alunas que ocupam as escolas de formação. A ABS, responsável por um dos cursos mais procurados da cidade, espera formar 170 mulheres neste ano, 75 a mais do que em 2005. “Elas têm sido aceitas em restaurantes com maior frequência, o que contribuiu para o seu crescimento na profissão”, diz Fernando Basile, diretor de degustação da ABS-SP. E o que os homens do mercado acham dessa concorrência? “As coisas estão ficando complicadas para nós”, brinca Manoel Beato, sommelier do grupo Fasano, que, por sinal, é namorado da sommelière Gabriela Monteleone, responsável pelo serviço de vinhos do D.O.M., no Jardim Paulista. “Além de muito competentes, as especialistas femininas trouxeram leveza ao serviço.” Mario Rodrigues
Sommelières 2224 - Clara Mei
Clara Mei: responsável pelo serviço de vinhos do Santovino (Foto: Mario Rodrigues)
Clara Mei: responsável pelo serviço de vinhos do Santovino Na briga por espaço, as mulheres ainda levam um pequena desvantagem por causa da desconfiança de alguns clientes. “Certas pessoas relutam em aceitar sugestões de uma jovem”, afirma a carioca Clara Mei, de 21 anos, responsável pelo serviço de vinhos do recém-inaugurado Santovino, no Jardim Paulista. Ela elaborou sozinha a carta de 250 rótulos da casa, que conta com uma adega de 5.200 garrafas. Outro exemplo é Valquíria Pereira, de 32 anos. Mineira de Itapeva, trabalhou até a adolescência na roça da família. Em 2001, a convite de Sylvio Lazzarini Neto, proprietário da churrascaria Varanda, topou abandonar a vida rural para se tornar a nova bartender da casa no Itaim. Foi seu primeiro contato com o vinho e, sob a influência do premiado sommelier Tiago Locatelli, acabou decidindo se dedicar aos estudos da bebida. Desde 2007, vem treinando suas habilidades na profissão. “Não sabia nada sobre o assunto, fiz muita besteira no começo”, conta. “Quebrei rolha, derramei vinho, errei as uvas...”, confessa. Hoje, bem mais experiente no ofício, toca os almoços no salão e já se tornou queridinha entre os clientes. “É um trabalho difícil, preciso ler e estudar todos os dias”, explica. “Mas me encontrei nessa profissão.” Mario Rodrigues
Sommelières 2224 - Valquíria Pereira
Valquíria Pereira: desde 2001 na churrascaria Varanda (Foto: Mario Rodrigues)
Valquíria Pereira: desde 2001 na churrascaria Varanda As Sugestões das Sommelières HELENA MATTAR, 25 ANOSFormação: Le Cordon Bleu, FrançaRestaurante: VitoVinho para um jantar romântico: Dolcetto d’Alba Mascarello 2007 (“bem equilibrado, macio e refinado”)Preço: R$ 117,00*Vinho para um almoço de negócios: Cortes de Cima 2008 (“intenso e encorpado, mas sem agressividade”)Preço: R$ 90,00* CLARA MEI, 21 ANOSFormação: Associação Brasileira de SommeliersRestaurante: SantovinoVinho para um jantar romântico: Cava Pere Ventura Brut Nature (“espumante leve, refrescante e bem frutado”)Preço: R$ 103,00*Vinho para um almoço de negócios: San Polo Rubio Toscana 2008 (“leve, porém muito saboroso e fácil de agradar”)Preço: R$ 106,00* VALQUÍRIA PEREIRA, 32 ANOS Formação: Associação Brasileira de SommeliersRestaurante: Varanda GrillVinho para um jantar romântico: Antinori Tignanello 2007 (“bebida densa, com aromas de fruta madura e carvalho”)Preço: R$ 365,00*Vinho para um almoço de negócios: Château Haura 2005 (“médio frutado, elegante e sedoso”)Preço: R$ 112,00* * Valores das cartas dos respectivos estabelecimentos

Fonte: VEJA SÃO PAULO