A Opinião do Leitor

As cartas desta edição

Por: Veja São Paulo

capa edição 2400
Capa - edição de 19 de novembro (Foto: Arte)

Capa

Adorei as promoções (“Edição do desconto”, 12 de novembro”). Que venham sempre! Evelin Rosário

A relação de atividades que oferecem descontos é sintomática. Há queixas de que estamos num momento de crescimento da inflação, o que motiva a elevação de preços. Por que o assunto não é debatido por especialistas? Eles podem dar a orientação no sentido de controle dos valores, permitindo o consumo e mantendo uma boa faixa de lucro. Uriel Villas Boas

Publicidade

Obrigada à revista pelas recordações proporcionadas em “Uma história de promoções” (12 de novembro). Essa reportagem reavivou lembranças de bons tempos, saudade da aventura corajosa que era experimentar as novidades e saudade da maneira quase inocente das propagandas de antigamente. Maria de Carvalho Contrera

Fiquei surpresa com o texto “Uma história de promoções”, sobre a evolução da propaganda da cidade em jornais e revistas. Eu realizei uma pesquisa parecida quando concluí meu MBA em design e imagem de moda, a respeito da propaganda de moda no Brasil, de 1900 a 2000. Mappin Stores e Casa Allemã também estão citadas no meu trabalho! Priscilla Tesser

A reportagem me lembrou meu pai. Economista, mas comerciante por tradição, ele eraadepto da propaganda, tanto no rádio como em jornais, e sempre nos contava da repercussão das peças publicitárias. A nossa loja no número 162 da Rua Dom José de Barros continua funcionando com o mesmo slogan: “Artigos finos para homens”. Maria Teresa Demercian

Varejo

Fiquei indignada com “O teste da pechincha” (12 de novembro). Se for para ensinar a economizar em uma negociação, que isso seja feito com produtos realmente importantes e necessários, e não com artigos de luxo, reduzindo a comissão do pobre vendedor (aviso: não possuo loja, portanto não estou defendendo a classe). Katia Farias

Matthew Shirts

Excelente a última crônica, sobre a busca por um calçado (“Sapato de homem”, 12 de novembro). Se fosse uma mulher, até achar o tal sapato ideal, já teria comprado alguns modelos em cinco vezes no cartão, mesmo que eles apertassem o pé e não fossem aquele tão procurado. Andrea Kinouti

Sou coordenadora da pós-graduação de design de calçados e bolsas do Istituto Europeo di Design (IED) Brasil. Posso parecer suspeita, mas garanto que nossa indústria é excelente. Sabemos fazer produtos de qualidade, com tecnologia e design bem elaborado. Nosso país já produziu e exportou muito no passado, inclusive para grandes marcas do mercado europeu. Infelizmente hoje o fator cambial não favorece mais as vendas para o exterior. O consumidor desconhece todo o processo até o produto chegar ao ponto de venda. São mais de 100 operações para construir um bom sapato. Meline Moumdjian

Futebol

Como conferi, ao lado do meu neto, a nova arena do Palmeiras é muito bonita e moderna (“Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo”, 5 de novembro). É mais um ótimo espaço de cultura e esportes para a cidade, com uma localização privilegiada. Merece destaque a importância de nossa iniciativa privada em parcerias como essa. Elas não se utilizam de recursos públicos como infelizmente ocorreu na última Copa do Mundo. Claudio Baptista

ESCREVA PARA NÓS

E-mail: vejasp@abril.com.br

As mensagens devem trazer a assinatura, o endereço, o número da cédula de identidade e o telefone do remetente. Envie para Diretor de Redação, VEJA SÃO PAULO. Por motivos de espaço ou clareza, as cartas poderão ser publicadas resumidamente.

Redes Sociais: facebook.com/vejaspe @vejasp (twitter)

Atendimento ao leitor: ☎ (11) 3037-2541

Sobre assinaturas: ☎ (11) 5087-2112

Atenção: ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas nem a fazer refeições em nome da revista a pretexto de produzir reportagens para qualquer seção de VEJA SÃO PAULO.

Fonte: VEJA SÃO PAULO