Decoração

Arquitetos apostam em ambientes criados dentro de contêineres de carga

Escritórios e até mesmo casas podem ser criadas - baixo custo e rapidez na montagem são atrativos

Por: Bruna Fasano - Atualizado em

Arquitetos apostam em ambientes criados dentro de contêineres de carga Foto 2
O escritório montado nas inusitadas caixas metálicas: 35 dias de trabalho (Foto: Mathias Coaracy)

 

Criado pelos arquitetos Luiz Fernando Rocco e Fernando Vidal, o escritório bacana da foto acima recebeu o prêmio de o mais original da feira de design Casa Cor Trio, em cartaz no Jockey Club até domingo (6). O maior trunfo do projeto foi encontrar novo uso para contêineres de carga. 'Queríamos mostrar que é possível carregar o local de trabalho para onde a pessoa for', afirma Vidal. 'Mas, claro, falamos de um conceito, não de uso prático' É verdade: três carretas e um guindaste foram necessários para que os caixotes, de 2 toneladas cada um, fossem transportados de Santos para a capital. Mesmo assim, esses quadradões antes restritos ao transporte de mercadorias estão em alta na decoração.

Os dois principais atrativos são o baixo custo e a rapidez da montagem, como ilustra a história da arquiteta Valéria Blay. Prestes a abrir uma galeria de arte em Higienópolis, ela queria aumentar o espaço de exposições do prédio que ocupa. Mas o imóvel está em processo de tombamento, por isso seria complicado investir em obras. Entraram em cena os contêineres. Combinados, acrescentaram 37 metros quadrados à área de 300 metros quadrados. 'Foi a solução mais prática, rápida, limpa e barata', define Valéria, que instalou três deles no jardim do terreno em apenas 48 horas e pagou 4.000 reais por unidade - preço do modelo-padrão, com 6 metros de comprimento, 2,4 metros de largura e 2,5 de altura. 'E o melhor foi casar um ambiente velho com o novo das obras de arte', acredita ela, que acertou a compra e a customização do espaço pela internet.

Os adeptos de iniciativas ecologicamente corretas apontam o potencial sustentável dessas peças, que podem ser readaptadas e utilizadas para diversos fins. Existem bairros inteiros de casas compostas com contêineres no Japão e na Inglaterra, por exemplo. Na Universidade de Utrecht, na Holanda, viraram acomodações estudantis. Em São Paulo, abrigaram neste ano um restaurante temporário patrocinado por uma marca de cerveja. Tinha como diferencial o fato de ser itinerante. Circulou por Santo Amaro e pelo Pacaembu. Animado com a mania dos contêineres, o empresário Alex Tessitore já pensa em trazê-los de volta em janeiro próximo. Outra novidade encaixotada que vem por aí leva a assinatura do arquiteto Marcio Kogan. Trata-se de uma loja de design em Pinheiros que será instalada em nove dessas peças. 'Escolhi algumas que seriam descartadas do transporte de mercadorias por apresentar pequenas avarias', conta ele. A inauguração está prometida para março de 2010. A linguagem usada no interior da loja será low-tech, como ele define, com fiação aparente e canos do aparelho de ar condicionado à mostra. 'Vamos ter sincronia entre o espaço visto por fora e a decoração interna', promete.

Fonte: VEJA SÃO PAULO