Terraço Paulistano

Mulher de dono da Arezzo: "pele está na moda"

Anderson Birman, marido de Maythe e dono da Arezzo, teve que recolher coleção exótica de 1.300 itens após protestos

Por: João Batista Jr.

Maythe Birman Arezzo 2214
Maythe, da Arezzo: pele, só com certificação (Foto: Patricia Stavis/Folhapress)

Na semana passada, a marca de acessórios Arezzo foi atacada em redes sociais como Twitter e Facebook. Alguns ecologistas radicais prometiam boicotar a empresa, que lançou uma coleção com produtos feitos de pele de animais como raposa e coelho. Depois do rebuliço, cerca de 1.300 itens foram retirados das lojas da marca — as peças devem ser doa das agora a alguma ONG. Maythe Birman, mulher do dono da empresa, Anderson Birman, fala sobre a polêmica:

+ Anderson Birman: "toda essa confusão é fruto da internet"

+ Polêmica das peles: fashionistas e socialites comentam

+ Pele fake vira moda entre as grandes grifes

+ As cinco maiores polêmicas do Twitter

VEJA SÃO PAULO - Por que vender esse material? Maythe Birman - A pele está na moda. As mesmas pessoas que são contra o uso por questão ecológica calçam sapatos de couro e vão ao restaurante exclusivamente para comer carne. É estranho.

VEJA SÃO PAULO - O que acha das reclamações? Maythe Birman - Todos têm o direito de comprar ou não determinado produto, vai do estilo de cada um. Mas quem criticou não deve ter o que fazer, pois ficava falando mal da marca no Twitter o tempo todo.

VEJA SÃO PAULO - Você usa pele? Maythe Birman - Tenho algumas peças no meu guarda-roupa, todas certificadas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO