Tecnologia

Aplicativos permitem pagar a conta de restaurantes com o celular

Endereços como Confeitaria Dama, Le Jardin Secret, Diletto e Clos de Tapas já aceitam essas plataformas

Por: Sophia Braun

Aplicativos para pagar a conta em restaurantes - KiiK
Iguelka e Barbirato na Confeitaria Dama: investimento de 750 000 reais para criar o KiiK (Foto: Fernando Moraes)

Acena se tornou comum em bares e restaurantes paulistanos: quando o prato chega à mesa, o cliente saca o smartphone, clica a comida e divulga nas redes sociais. Agora, surgiu uma nova e bem mais útil função para os aparelhos nesses ambientes. São os aplicativos que permitem pagar a conta com o celular.

 

Há três versões do produto. O KiiK, da empresa Incube, está sendo testado desde novembro nas duas unidades da Confeitaria Dama (Pinheiros e Higienópolis). A pessoa pede a fatura a um funcionário, fotografa o QR Code e uma tela do app mostra o que foi consumido. Para concluir a operação, basta digitar o código de segurança do cartão de crédito previamente cadastrado. “A plataforma admite selecionar apenas os itens consumidos ou dividir o valor total entre todos os amigos”, explica Eduardo Iguelka, sócio de Sérgio Kulikovisky, Alexandre Barbirato e Fernando Blay na Incube. Eles investiram cerca de 750 000 reais no KiiK, que estará em uso em mais onze endereços na metrópole até 15 de fevereiro.  

Pioneiro nesse serviço na capital, o Snapping, lançado em março de 2013, acabou adotado por casas como o clube D-Edge, na Barra Funda, e o Boteco Ferraz, no Itaim. Ele possibilita acompanhar a comanda e quitá-la via mobile, sem precisar ir ao caixa. “Até março, vamos expandir para restaurantes e outros pontos de varejo”, planeja o desenvolvedor Elisson Campos Osório.

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

No próximo mês, outro concorrente deve iniciar operações. Trata-se do Bematech Mobile Pay, criado pelas companhias Bematech e Toppay. Ele será oferecido para endereços gastronômicos, incluindo cadeias de fast-food. “Estamos ainda fechando as parcerias”, afirma Cleber Moraes, CEO da Bematech. Nesse caso, será possível ver o cardápio, fazer o pedido à mesa e pagar com o telefone. O garçom entra em cena apenas para trazer a refeição. “Além de agilizar o atendimento, o comerciante pode explorar o perfil dos frequentadores e conceder descontos”, completa Moraes.  

 

Quem já oferece agrados ao usuário é o PicPay, desenvolvido pela empresa homônima. Ele está em uso por aqui há dois meses, em quatro unidades da sorveteria Diletto, entre outros estabelecimentos. Além de facilitar o pagamento — mas sem acesso prévio à comanda —, ele possui um programa de fidelidade, a “carteira virtual”, na qual acumulam-se créditos. A doceria Le Jardin Secret, na Vila Madalena, por exemplo, dá desconto de 5 reais para a primeira compra via celular.

Fonte: VEJA SÃO PAULO