Arte e design

Do piso ao teto

Um dos homens mais ricos de Singapura é dono do primeiro endereço no mundo decorado pela Hermès — e 100% com peças da grife francesa

Por: Luciana Dias, de Paris - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Por uma década, o casal Michelle e Simon Cheong cultivou o sonho de ser dono de ambientes inteiros grifados pela Hermès. Até recentemente, nem toda a fortuna dos Cheong — ele comanda a SC Global, empresa do ramo dos imóveis que custam 20 milhões de reais, e é um dos homens mais ricos de Singapura — concretizaria esse desejo. Com o investimento cada vez maior da marca francesa, nos últimos dois anos, no desenvolvimento da linha casa, os Cheong conseguiram, enfim, montar um apartamento de 600 metros quadrados com 100% da decoração assinada pelo ícone do número 24 do Faubourg Saint-Honoré, em Paris. Vai ocupá-lo apenas para reuniões de negócios. “Agora que temos capacidade de criar mundos personalizados, vamos continuar a fazê-lo”, diz Hélène Dubrule, diretora da Hermès Maison. Localizado no The Marq, condomínio da SC Global no bairro de Paterson Hill, em Singapura, o imóvel de cinco quartos tem peças de madeira e couro, papéis de parede, tapetes, toalhas e louças idealizados por uma profusão de artistas e executados pelos artesãos da grife. Os lustres de cristal vêm da Saint-Louis, e os talheres, da Puiforcat, ambas centenárias e hoje parte do grupo fundado em torno da marca que nasceu na capital francesa com Thierry Hermès em 1837.

Fonte: VEJA SÃO PAULO