Saúde

Saiba como lidar com a ansiedade

O psiquiatra Augusto Cury, autor do livro Ansiedade - Como Enfrentar o Mal do Século, fala sobre a doença e relata os principais sintomas de quem sofre dela

Por: Carolina Romanini - Atualizado em

Roer Unhas - Ansiedade - Latinstock
Roer unhas é um dos hábitos que podem indicar ansiedade (Foto: Latinstock)

Dificuldade para dormir, tensão muscular, cansaço sem motivo aparente. Todos podem ser sintomas de ansiedade, doença que pode facilmente passar despercebida diante de suas manifestações comuns.

Segundo o psiquiatra Augusto Cury, autor do livro Ansiedade - Como Enfrentar o Mal do Século, 80% das 5 000 pessoas pesquisadas por seu instituto sofrem com sintomas da ansiedade. “De acordo com pesquisas internacionais, mais de 80% dos casos de cefaleia ou dores de cabeça são de origem tensional [um sintoma da ansiedade] e, o que é mais assustador, de acordo com estudos da universidade de Michigan, uma em cada duas pessoas desenvolverá ao longo da vida um transtorno psiquiátrico _não apenas a ansiedade, mas depressão, transtorno obsessivo, fobias, anorexia, bulimia, psicose”, diz o médico.

+ Guia DETOX em São Paulo

+ A moda de cortar o glúten para perder peso

A seguir, o médico fala da doença, do livro (que figura na lista dos mais vendidos de VEJA há doze semanas), e apresenta dez sintomas que podem indicar um quadro de ansiedade já patológico.

Quando a ansiedade deixa de ser um estado de euforia e passa a ser uma doença? Existe uma ansiedade saudável que nos inspira, motiva, anima, encoraja a ter curiosidade e andar por ares nunca antes respirados. A ansiedade se torna doentia quando compromete a capacidade de resposta, o autocontrole, promove a intolerância e gera sintomas psicossomáticos.

Quais são os sintomas que indicam um quadro de ansiedade?

  1. ACORDAR FATIGADO
  2. DORES DE CABEÇA FREQUENTES
  3. DORES MUSCULARES (PRINCIPALMENTE NOS OMBROS E PESCOÇO)
  4. AGITAÇÃO MENTAL E DIFICULDADE EM LIDAR COM O TÉDIO
  5. BAIXA TOLERÂNCIA PARA SUPORTAR FRUSTRAÇÕES
  6. SOFRIMENTO POR ANTECIPAÇÃO
  7. FLUTUAÇÃO EMOCIONAL (NUM MOMENTO A PESSOA ESTÁ TRANQUILA, NOUTRO TEM REAÇÕES EXPLOSIVAS)
  8. DIFICULDADE PARA CONVIVER COM PESSOAS LENTAS
  9. TRANSTORNOS DO SONO
  10. DÉFICIT DE CONCENTRAÇÃO E MEMÓRIA

Para o senhor, o que é mais preocupante a respeito da ansiedade? No livro, abordo em destaque a ansiedade decorrente da Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), característica da vida agitada e “moderna”. O pensamento crítico é bom, mas pensar demais e, principalmente, sem gerenciamento, é uma verdadeira bomba contra a qualidade de vida, prática que desgasta o cérebro intensamente. A SPA pulverizou-se em todos os povos e culturas por conta do excesso de informações e preocupações às quais estamos expostos, além de um  trabalho intelectual intenso, do uso da internet, de smartfones e jogos de videogames. Essas práticas têm estimulado o processo de construção de pensamentos numa velocidade nunca antes vista e as consequências são preocupantes. Por exemplo: uma criança de sete anos de idade, hoje, tem mais informação em sua memória, o que imprime nelas ansiedade, irritabilidade, consumismo e insatisfação crônica. Isso para não falar em perda do interesse de aprender, o que tem levado os professores a serem cada vez mais “cozinheiros” do conhecimento, pois têm que preparar o alimento para uma plateia que tem pouco apetite. Também há uma morte precoce do tempo emocional. Vivemos o dobro que os da Idade Média, mas oitenta anos, hoje, passam emocionalmente mais rápido do que vinte anos no passado. E, por último, há uma infantilização da emoção. Muitos adultos de 30 ou 40 anos têm uma idade emocional de 15. Não tem resiliência, não sabem lidar minimamente com contrariedades, crises, críticas.

+ Alimentos que combatem o estresse

Ansiedade - Augusto Cury
O livro "Ansiedade - Como Enfrentar o Mal do Século" (Saraiva, 160 páginas, R$ 14,90). (Foto: Divulgação)

Existe um perfil da pessoa que sofre com ansiedade – sexo, idade, profissão, etc? Ou essa é uma doença que não faz distinção de suas vítimas? Não existe um perfil. A ansiedade atinge pessoas das mais diversas idades, das crianças aos adultos e de todas as classes sociais. Na semana passada fiz uma conferência para 8 000 pessoas em Minas Gerais e, nesta semana, para 500 mulheres empreendedoras de São Paulo. Fiz um teste sobre os níveis de ansiedade dos participantes e a grande maioria estava tão estressada, irritadiça, fatigada, que deveria estar relaxando em um hotel-fazenda. Em todos os lugares onde dou conferências, da Romênia à Espanha, dos EUA à Bogotá, a incidência é igual. O que é alarmante é que médicos pediatras, psiquiatras, psicopedagogos e psicólogos estão confundindo a SPA com hiperatividade. Esse erro de diagnóstico é trágico, tem levado a uma prescrição exagerada de ritalina e outras drogas para controlar o problema. A solução, para pessoas de qualquer idade é ter atividades lúdicas, contato com a natureza, ler livros, aprender música, artes plásticas, artes cênicas, enfim, atividades contemplativas. Como digo no livro, Pais Inteligentes Formam Sucessores, que estou lançando nesta semana, usar sem controle smartfones e dar presentes em excesso é um crime educacional, vicia a emoção com novos estímulos e fomenta a ansiedade.

Como prevenir a ansiedade nessa sociedade estressante?  Para aliviar a ansiedade, além de atividades contemplativas e do tratamento psiquiátrico e psicológico quando necessários, é fundamental não trair nossa cama, nossos finais de semanas, nossas férias, o tempo com as pessoas que amamos. Além disso, é importante não cobrar excessivamente de si mesmo, pois quem o faz sabota sua saúde emocional. Sinceramente, quase todos somos traidores de nossa qualidade de vida. O paradoxo é que os melhores profissionais têm sido os maiores carrascos de si mesmos: são ótimos para a empresa ou instituição, mas carrasco de si mesmos. Devemos sempre nos lembrar que todas as escolhas têm perdas, quem quiser preservar o essencial, tem estar disposto a perder o trivial. Lancei nos Estados Unidos, em dezembro passado, o programa Freemind (Mente Livre), que é um dos primeiros para prevenção de transtornos psíquicos. Esse programa contém doze ferramentas que desenvolvi durante vinte anos sobre como gerenciar a mente, proteger a emoção, filtrar estímulos estressantes, trabalhar perdas e frustrações, que podem contribuir para prevenir os mais variados tipos de ansiedade. E renunciei aos direitos autorais do Freemind para que ele seja usado gratuitamente em todos os povos e culturas. Ele pode ser copiado em meu site www.augustocury.com.br.

Fonte: VEJA SÃO PAULO