Gente

Conheça Angel K, a dentista milionária que virou funkeira

Casada com um empresário que atua nos ramos da música, futebol e transporte público, a artista já tem 1,4 milhão de visualizações de seu clipe de estreia no YouTube

Por: Ana Carolina Soares

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

A vida estável como dentista no bairro de Santo Amaro não foi suficiente para os anseios de Karla Angelica Korek Freitas, 35 anos declarados. Em 2009, com o apoio do marido, o empresário Paulo Korek Freitas, ela ela decidiu abandonar o consultório onde faturava cerca de 20 000 reais por mês para entrar no mundo da música. Há dois meses, passou a assinar como Angel K e virou musa do funk.

"Não tem idade ou classe social para correr atrás do sonho", afirma ela, que é casada há doze anos e tem três meninos, com idades entre cinco e onze anos. 

Seu primeiro hit, Vem Meu Sheik estreou há dois meses e tem mais de 1,4 milhão de visualizações no You Tube. A seguir, Angel K fala sobre sua trajetória inusitada:

+ "Tenho qualidades diferentes do MC Gui", diz Justin Bieber brasileiro

Como foi a decisão de trocar o consultório pelos palcos?

Em 2009, meu filho caçula estava com um ano quando meu marido começou a negociar sobre um projeto de reggaeton [Além de ser presidente de um clube de futebol de um empresa de transporte coletivo, Paulo Korek Freitas agencia músicos]. Na época, eu estava afastada do consultório por causa da licença maternidade. Soube do projeto e ele disse que era a minha cara. Amo ser dentista, mas meu sonho sempre foi estar nos palcos. Conversamos, ele me apoiou e então fechei o consultório e apostei na carreira.

Por que decidiu ser cantora pop depois dos 30 anos?

Por causa dos meus pais, que não reconheciam a atividade. Em 2009, como eu estava estabilizada em todos os sentidos e havia um projeto musical em que eu me encaixava, decidi ir atrás do meu sonho e fui estudar canto e dança. O sonho precisou de uma pausa de quatro anos, porque acompanhei as obras da construção da nossa nova casa, em São Bernardo do Campo. No fim do ano passado, decidi retomá-lo, mas optei pelo funk, que é mais o gosto do brasileiro. Faço uma música de qualidade, a qual crianças e adultos possam ouvir sem constrangimentos. Meus filhos e meu marido sempre me apoiaram.

+ Prefeitura quer levar "pancadões" para o Autódromo de Interlagos

Ser funkeira é mais rentável do que ser dentista?

Sim. Ainda estou no início da minha carreira e tive um investimento alto (ela não revela valores, mas estima-se que ultrapassou o 1,5 milhão de reais). No fim do ano passado, fui a Los Angeles estudar canto e dança, contratei Aisha Francis, que trabalhou com Beyoncé, para ser minha coaching, as bailarinas de Vem Meu Sheik também são americanas. Mas, mesmo no início de carreira, faturo três vezes mais do que no consultório.

+ MC Taz faz funk ostentação para crianças e adolescentes

Qual seu sonho?

Ter minha música conhecida no Brasil inteiro. Sou fã de Jennifer Lopez, Beyoncé e Ivete Sangalo. Quero seguir a trilha delas. Não há idade, classe social ou estado civil para correr atrás de um sonho.

Conheça abaixo o trabalho de Angel K no clipe Vem Meu Sheik:

+ Confira as principais notícias da cidade

Fonte: VEJA SÃO PAULO