Gente

Com fortes dores, Andressa Urach procura atendimento de emergência

Pontos das coxas da modelo e apresentadora ficaram inflamados durante caminhada em Florianópolis no fim de semana

Por: Tatiana Izquierdo - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

O passeio em Florianópolis (SC) de Andressa Urach contou com imprevistos no último fim de semana. Com alta médica após ficar internada por causa de uma infecção generalizada causada pelo uso de hidrogel, a modelo e apresentadora recebeu autorização dos médicos para fazer caminhadas leves. Entretanto, ela sentiu fortes dores nas pernas durante a atividade e precisou procurar um atendimento de emergência.

+ Fotos da perna de Andressa Urach repercutem em sites internacionais

“Ela percebeu que suas pernas estavam inchadas e começou a sentir dores. Os médicos identificaram que alguns pontos das coxas estavam inflamados. Com isso, eles realizaram drenagem no sábado e domingo”, explicou o assessor de Andressa, Cacau Oliver.

+ Andressa Urach é vista pela primeira vez após internação

O retorno de Andressa para Porto Alegre estava previsto para segunda-feira (5). Por conta das fortes dores, a modelo desembarcou na cidade na tarde de terça-feira (6). “Assim que chegou, ela entrou em contato com o Hospital Conceição, onde ficou internada. Ela foi atendida em casa, pelo sistema PAD (programa de assistência domiciliar), e já realizou diversos exames. A orientação agora é de repouso absoluto. Ela está bem, mas ficou com muito medo de ser internada novamente.”

+ Andressa Urach desabafa na internet: "Nasci de novo"

Procurado, o coordenador de comunicação do Hospital Conceição, Alexandre Costa, disse que a unidade não divulgará mais informações sobre o tratamento de Andressa. “Nossa obrigação é cuidar da saúde da modelo.”

Entenda o caso

Andressa foi internada há mais de um mês na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Nossa Senhora da Conceição em Porto Alegre (RS), com quadro grave de infecção generalizada. O problema da modelo foi ocasionado pelo uso de hidrogel, uma substância à base de poliamida, aplicado nas coxas há mais de cinco anos.

O caso chamou atenção para os limites do uso de preenchedores de volume, como o hidrogel. Apesar de liberada sua utilização em qualquer área do corpo, médicos especializados não costumam utilizar o produto em grandes áreas, como no caso das pernas e nádegas.

Foram injetados 500 mililitros em cada umas das coxas. Para grandes áreas, médicos especializados e cirurgiões plásticos indicam o uso de próteses de silicone ou enxerto de gordura do próprio paciente. Segundo especialistas, o produto químico é indicado para procedimentos reparadores, onde são indicados aproximadamente 2 ou 3 mililítros de hidrogel.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica não aprova o uso de substâncias classificadas como inabsorvíveis, como o silicone ou silicone industrial (DMSO) e o gel PMMA (polimetil metacrilato), que não devem ser aplicadas em nenhuma região do corpo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO