Noite

Anderson Noise celebra 24 anos de carreira na Clash

DJ mineiro já foi nomeado três vezes no Top 100 da revista “DJ Mag”

Por: Camila Taira

Anderson Noise - 24 anos de carreira
Anderson Noise: queridinho das pistas (Foto: Nino Andres)

Todas as sextas, o enorme galpão da Clash Club, localizado na Barra Funda, reúne amantes de música eletrônica. Nesta sexta (9), o clima será de aniversário com a comemoração dos 24 anos de carreira do DJ residente Anderson Noise. “Tudo começou quando eu era vendedor e gravava tapes para tocar numa loja. Até que resolvi reunir uns amigos em casa, aí um conhecido me viu tocar e me contratou para uma festa”, conta o queridinho das pistas que também está na programação fixa da LAB e da D-Edge.

+ Novas casas do circuito GLS são refinadas e comportadas

+ As casas e festas que agitam a cidade

+ Madame Satã retorna à noite paulistana

+ Astronete volta em novo endereço

O mineiro de 42 anos já tocou em 31 países e foi citado três vezes como um dos cem melhores DJs pela “DJ Mag”, revista do Reino Unido especializada em música eletrônica. Entre os locais mais estranhos em que já discotecou está um manicômio. “Foi em 1994, quando eu, uns amigos Hare Krishna e umas drags queens fizemos uma festa com a ajuda de uma amiga psiquiatra. Eu era mais louco que os pacientes”, relembra aos risos.

Ao longo dos anos, muita coisa mudou. A começar pelo sobrenome “Noise”, que escolheu quando foi fazer seu primeiro cartão de visitas. Não achou palavra melhor, naquele momento, para classificar seu som. Depois, veio a transição do vinil para o digital, melhorando, em sua opinião, o preço e a praticidade.

Mas nem todos modernismos foram encarados com bons olhos (e ouvidos) pelo DJ, como a tendência cada vez maior de celebridades da internet "atacando" de DJ. “Eu já me incomodei mais com isso. Mas sei que o maior prejudicado nisso é o público, que precisa aguentar alguém que não sabe tocar. Paciência”, diz.

A balada na Clash começa às 23h59 e terá outros quatro DJs no comando do toca-discos. Na hora, os ingressos vão custar entre R$ 50,00 e R$ 110,00.

Fonte: VEJA SÃO PAULO