Educação

Alunos comemoram revogação da reorganização e interditam Av. Paulista

Eles devem seguir para a sede da Secretaria Estadual de Educação e cobram um calendário de audiências públicas para discutir o projeto no próximo ano

Por: Estadão Conteúdo - Atualizado em

ato paulista
Protesto interdita faixas da Avenida Paulista neste sábado (5) (Foto: Reprodução / Página "Contra "reorganização" das escolas de SP")

Um grupo de estudantes realiza manifestação desde às 15h deste sábado (5) em comemoração à revogação do projeto do governo Geraldo Alckmin (PSDB) sobre a reorganização do ensino. O ato interdita totalmente o sentido Consolação da Avenida Paulista. A Polícia Militar acompanha o ato, que deve seguir até a sede da Secretaria Estadual de Educação, na Praça da República, passando pela Rua da Consolação. Não foi divulgado o número de manifestantes.

+Diário Oficial confirma suspensão da reorganização das escolas

+ Secretário de Educação pediu demissão antes do anúncio de recuo

Apesar de a manifestação acontecer de forma pacífica, o fato de alguns participantes decidirem ficar parados no meio da rua para aumentar o congestionamento revolta alguns motoristas, que reagem buzinando e gritando. Uma mulher que não quis se identificar e que estava com o filho recém nascido no carro pediu para passar e discutiu com os manifestantes. Ela foi xingada por alguns manifestantes. O grupo liberou a via temporariamente para que ela passasse com o carro.

+'Japonês' da Lava Jato vira tema de marchinha de Carnaval

Além de festa, eles usam o ato ainda para cobrar um calendário de audiências públicas para discutir o projeto no próximo ano. Querem ainda a certeza de que nenhum aluno ou professor será punido pelos protestos e ocupações. Neste sábado, a Secretaria Estadual da Educação ainda fala em 196 unidades tomadas.

+Grupos marcam manifestação pelo impeachment no dia 13 de dezembro

+ Morre Marília Pêra

A reorganização da rede previa que as escolas fossem separadas para só um ciclo cada - anos iniciais do ensino fundamental, anos finais ou ensino médio. Também previa o fechamento de 93 escolas em todo o Estado. O projeto foi suspenso ontem por Alckmin após uma série de protestos e escolas ocupada. Neste sábado, o decreto da reorganização foi revogado no Diário Oficial.

+ Confira as últimas notícias 

Fonte: VEJA SÃO PAULO