ODONTOLOGIA

Caso de aluna que teria furado gengiva de criança de propósito causa revolta

"A prof sempre mandou termos uma postura forte e não dar abertura pra criança fazer birra. Eu peguei a carpule e dei uma furadinha na gengiva dele", diz texto de post

Por: Veja São Paulo

carpule
(Foto: Reprodução)

Estudantes de odontologia de uma universidade de São Paulo foram surpreendidos com uma imagem que tem circulando pela internet desde a noite de quarta (4). Nas imagens compartilhadas em diversas redes sociais, um texto atribuído a Nahda Taha, possível aluna da FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas), narra o momento em que ela furou a gengiva de uma criança com um instrumento para fazer limpeza dental.

As melhores amigas desta noiva organizaram um chá de panela inspirado em ‘Friends’

“A prof sempre mandou a gente ter uma postura forte e não dar abertura pra criança fazer birra, a minha prof sempre chega berrando com crianças que fazem birra! Sexta-feira ela mandou eu intervir, eu tava fazendo PROFILAXIA PROFILAXIA MANO e o moleque chorando, ai ela falou faz alguma coisa e tal, eu peguei a carpule e dei uma furadinha na gengiva dele, o moleque deu um PULO ai eu falei vc quer com dor ou sem dor? Ai ele sem dor, ai eu falei então abre a boca e fica quieto! NÃO CHOROU MAIS NADA.

Aluna FMU
Suposta postagem no Facebook viralizou na internet e está sendo analisada pela FMU (Foto: Reprodução / Facebook)

Uma possível estudante da USP faz comentários sobre o texto e diz ter "amado" a ideia de "furar a criança". "KKKKKK MENTIRA MANO VOU GUARDAR ISSO PRA MIM. Mano minha dupla da odontoped era mó fofa assim c os pacis, aí eles montavam em cima sabe n ficavam quietos. Aí qdo eu atendia eu falava sem ser fofa, olhava meio feio, eles ficavam quietinhos. Mas FURAR amei".

Conheça os luxos oferecidos pela companhia aérea que cobra passagem de avião mais cara do mundo

Os perfis das supostas meninas que participaram da conversa não estão mais ativos no Facebook. No bastidores da FMU o assunto ainda é quente e chocou diversos alunos e professores da instituição, que não confirmou se a autora da postagem é mesmo estudante do centro de ensino.

Em nota à VEJA SÃO PAULO, o complexo informa que abriu uma sindicância interna para “verificar o ocorrido” e tomar as providências cabíveis, uma vez que a condução explicitada na postagem do Facebook não condiz com as orientações da FMU.

Aluna FMU
Caso está sendo investigado pelo Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (Foto: Reprodução / Facebook)

O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) informou que repudia toda e qualquer conduta que visa estigmatizar os procedimentos odontológicos e a figura do cirurgião-dentista como um profissional que provoca dor ou que se relaciona com seus pacientes de forma desumana ou antiética. A instituição também está adotando todas as medidas pertinentes para averiguar a veracidade dos fatos e a identificação dos citados nas conversas.

Fonte: VEJA SÃO PAULO