Gastronomia

Alimentos orgânicos ganham espaço

Conheça o que são alimentos orgânicos e quais as vantagens em consumí-los

Por: Bruna Furlan - Atualizado em

O que são os alimentos orgânicos
O que são os alimentos orgânicos (Foto: Fabiano Accorsi)

O que são alimentos orgânicos

Frutas, legumes, verduras e hortaliças orgânicas são livres de agrotóxicos e aditivos químicos. Seu cultivo obedece a critérios de manejo do solo, da água e das plantas. Outra característica importante é o respeito à sazonalidade. O morango orgânico, por exemplo, não é fruta do ano inteiro. Nunca dá fora de época.

No caso da carne (vermelha, de frango, crustáceos...), os animais não são confinados – são criados soltos -- nem tomam hormônios. Recebem refeições igualmente livres de química. O mesmo acontece com a galinha que dará origem a ovos orgânicos. Além disso, a reprodução é natural. Não é feita em laboratório.

O conceito de orgânico também evoluiu com o tempo. Já não basta ser livre de agrotóxico. Além de cultivo e alimentação saudável, a origem do produto tem de ser sustentável, preocupada em não prejudicar o equilíbrio dos recursos naturais. Obviamente os produtores têm de ser “corretos”: nada de trabalho infantil, escravo e de ignorar o entorno. Eles têm de ajudar a melhorar a vida da comunidade.

O cultivo tradicional, com uso de pesticidas e fertilizantes, é prejudicial não apenas à saúde mas também ao meio ambiente, uma vez que o solo e os lençóis freáticos são contaminados.

Quais as vantagens de consumir produtos orgânicos?

- a segurança de consumir alimentos sem agrotóxicos

- mais qualidade nutricional nos alimentos

- preservação dos componentes funcionais, por ser produzido dentro da safra

- realce do sabor dos alimentos

- respeito à natureza

Selos de certificação

Ao consumir alimentos orgânicos, a orientação é não dispensar o selo de certificação emitido por entidades como o Instituo Biodinâmico (IBD) e o Ecocert.

Os produtores procuram uma dessas certificadoras, que, depois de visitar e analisar diversos fatores da propriedade como as condições naturais da área e a existência de produtos químicos no solo, preenche um relatório e envia para o comitê que aprova ou recusa a concessão do selo. A certificação pode ser obtida automaticamente (se não houver resquícios de química na propriedade) ou após um período de conversão (se o produtor, antes, cultivava tradicionalmente, com agrotóxicos).

Se aprovados, os produtores recebem um certificado e o logotipo da empresa certificadora que deve constar nas embalagens dos produtos orgânicos. Importante: as empresas certificadoras são credenciadas pelo Ministério da Agricultura.

Fontes consultadas:

Helena Rizzo, chef do Maní; Augusto Pinto, chef do Goa; Renato Caleffi, chef do Le Manjue Bistrô; Kátia Camargo, nutricionista; Fausto Minguetti, engenheiro agrônomo; AAO (Associação de Agricultura Orgânica) e site Planeta Orgânico

Fonte: VEJA SÃO PAULO